Agroecologia é tema de artigos publicados em revista nacional

congresso-agroecologia-2015

Por Priscila Rabassa

O Idesam teve dois trabalhos publicados na Revista Cadernos de Agroecologia, uma iniciativa da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA). Lançada no último mês de maio, a 10a edição traz artigos e relatos de experiências inovadoras apresentadas durante o IX Congresso Brasileiro de Agroecologia, realizado entre os dias 28 de setembro e 2 de outubro de 2015, em Belém.

>> Idesam apresenta trabalhos no congresso de agroecologia

Uma das publicações foi o artigo ‘Agroecologia e o fortalecimento do Sistema Agrícola Tradicional do Rio Negro’, trabalho desenvolvido pelos pesquisadores Ramom Morato, Marina Reia, André Vianna e Carlos Gabriel Koury.

O estudo faz parte do projeto ‘Diagnóstico da produção alimentar e criação de banco de sementes e viveiro de árvores nativas para uso alimentar e medicinal junto às comunidades indígenas em São Gabriel da Cachoeira (AM)’, nrealizado em parceria com a Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror) e a Federação das Organizações Indígenas do Alto Rio Negro (Foirn), com financiamento do PNUD.

Com a pesquisa, foi possível realizar um diagnóstico da produção alimentar de duas comunidades dentro da Terra Indígena Alto Rio Negro, revelando que a agricultura familiar constitui a principal atividade desenvolvida pelos indígenas para geração de renda. No entanto, a baixa oferta de áreas férteis dentro da TI e o impacto das mudanças climáticas na agricultura vêm ocasionando o abandono da atividade agrícola e o declínio de variedades regionais.

Os resultados do projeto – que promoveu implantação de unidades demonstrativas e bancos de sementes – acabaram superando as expectativas, sendo possível provar que os sistemas agroflorestais na região podem suportar espécies agrícolas sem acabar com a cultura tradicional, contribuindo também para a geração de renda.

“O projeto foi importante porque dialogou com as comunidades indígenas valorizando as suas praticas agrícolas tradicionais, propondo técnicas capazes de fortalecer a soberania alimentar sem comprometer a cultura agrícola e, sobretudo, aliar a conservação ambiental com a geração de renda”, declara a gestora ambiental Marina Reia, pesquisadora do Programa Manejo Florestal do Idesam.

A experiência com produção agroflorestal de café na Amazônia foi o segundo trabalho aceito para compor a publicação da ABA. O Projeto Café em Agrofloresta é desenvolvido desde 2012 pelo Idesam, com apoio do Fundo Vale e diversos parceiros, no município de Apuí, localizado na região sul do estado do Amazonas, e retrata o processo de transformação de sistemas com práticas agroecológicas para a produção de café agroflorestal.

Por meio de assistência técnica e extensão rural, 28 agricultores familiares buscaram fortalecer a cadeia produtiva do café visando a melhoria da qualidade de vida e a redução de práticas nocivas ao meio ambiente. Em três anos de trabalhos foi possível avançar na transição agroecológica e renovar o potencial da cadeia de valor local.

“A transformação com base na agricultura ecológica é um processo gradual que pode ser intensificado, dependendo de fatores internos da propriedade. Em Apuí, ainda é necessário acompanhamento técnico para consolidar as primeiras experiências, multiplicar os sistemas agroflorestais e apoiar uma organização social que represente os produtores de café agroflorestal de Apuí”, declara o engenheiro agrônomo Vinícius Figueiredo, coordenador do projeto e um dos autores do artigo, que também contou com a participação de Gabriel Carrero, Mariano Cenamo e Geovani Machado.

Para acessar os artigos publicados na íntegra, utilize os links a seguir:

>> Cadernos de Agroecologia: Agricultura no Alto Rio Negro

>> Cadernos de Agroecologia: Café em Agrofloresta

Posts relacionados

Deixe um comentário