Brasil e Indonésia realizam intercâmbio sobre Clima e Florestas

indonesia-brasil-intercambio

Texto: Larissa Mahall
Edição: Samuel Simões Neto
Foto: Brenda Brito

Entre os dias 12 e 16 de outubro, uma comitiva da Indonésia visitou o Brasil para um intercâmbio sobre políticas climáticas e florestais nos dois países. O evento – liderado pelo Climate Focus e promovido pela GIZ Indonésia, GIZ Brasil e Idesam – teve como destaque os instrumentos financeiros de apoio à implementação de programas e projetos de conservação florestal e desenvolvimento de baixo carbono.

A comitiva da Indonésia foi composta por 16 representantes de ministérios (Planejamento Nacional, Meio Ambiente e Florestas) e províncias (Java Central e Kalimantan). Do lado brasileiro, participaram especialistas dos setores público e privado, além de organizações não-governamentais que trabalham com o tema.

De acordo com uma das organizadoras do evento, a consultora em meio ambiente, clima e gestão fundiária Brenda Brito, o governo indonésio está interessado em desenvolver ações de mitigação apropriadas localmente, conhecidas como “LAMAs”. Essas ações tem como objetivo principal promover um desenvolvimento de baixas emissões e permitir o avanço em direção à chamada “economia verde”.

“A Indonésia está estruturando um fundo nacional para financiar ações de mitigação e buscava conhecer a experiência brasileira”, afirma.

Conforme Brenda, os participantes ficaram muito interessados na experiência do Fundo Amazônia e puderam conhecer alguns dos projetos apoiados pelo fundo. “Como lições, eles perceberam a importância de disponibilizar mais informações sobre o fundo criado na Indonésia para o público em geral, bem como criar uma instância de diálogo com diferentes setores da sociedade para definir temas prioritários de apoio”, informa Brito.

A primeira etapa da visita, realizada no dia 12/10, no Rio de Janeiro, teve como objetivo contextualizar os participantes nas políticas nacionais e sub-nacionais, assim como os programas e projetos sobre mudanças climáticas, uso da terra e florestas.

A pesquisadora Luiza Lima, do Programa Mudanças Climáticas do Idesam, palestrou sobre as iniciativas que estão sendo desenvolvidas nos estados da Amazônia e suas interfaces com o contexto das políticas nacionais.

“Na ausência de uma regulamentação nacional de REDD+, diversos estados estão desenvolvendo suas próprias legislações, bem como diversas iniciativas privadas vêm sendo implementadas. Eles também partilham de muitas semelhanças e a troca de experiências foi muito rica”, informa Luiza.

A segunda parte do intercâmbio aconteceu em Belém e Paragominas (PA), nos dias 14, 15 e 16 de outubro e concentrou-se na implementação das ações de REDD+ em campo, focando na troca de experiências e lições aprendidas entre especialistas, instituições, agricultores e outros atores. Os visitantes participaram de uma reunião com o secretário de estado Justiniano Netto, onde puderam conhecer o Programa Municípios Verdes.

Criado em 2011, o programa já alcança mais de 100 municípios paraenses e busca combater o desmatamento e fortalecer a produção rural sustentável por meio de ações estratégicas de ordenamento ambiental e fundiário.

“Os países tropicais que enfrentam o desmatamento  têm o desafio de se desenvolver com sustentabilidade. É preciso compartilhar essas iniciativas exitosas e fortalecer politicamente o bloco na defesa dos seus interesses globais”, destaca o secretário.

“Os participantes ficaram muito interessados nas iniciativas de intensificação da pecuária nas fazendas de Paragominas. Mesmo que a pecuária não seja uma atividade ligada ao desmatamento na Indonésia, eles perceberam a importância de levar essa lição para sua realidade e buscar alternativas de intensificação de produção que evitem novos desmatamentos”, finaliza Brenda.

Posts relacionados

Deixe um comentário