(Português do Brasil) Debate aborda novas exigências para o manejo florestal

manejo-florestal-comunitario

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

A partir de maio de 2018, o SINAFLOR (Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais) será a única forma de acesso ao DOF (Documento de Origem Florestal), imprescindível para o licenciamento e comercialização de madeira legal. O novo sistema, lançado pelo Ministério do Meio Ambiente em março de 2017, busca agilizar o licenciamento dos Planos de Manejo Florestal Sustentável e garantir mais segurança à transferência de créditos de madeira ao Sistema DOF, do Ibama.

Com a proximidade do prazo final para adequação, o Idesam está promovendo um debate a fim de esclarecer dúvidas sobre o novo sistema e discutir quais os impactos (positivos e negativos) para a produção florestal no Amazonas, principalmente a produção de várzea e de pequena escala.

O debate ‘O Sinaflor e o Manejo Florestal no Amazonas’, acontece no dia 8 de fevereiro (quinta-feira), a partir das 8h30, no Centro de Ciências do Ambiente da Ufam, Sala Copaíba.

A participação é gratuita e voltada para profissionais e empreendedores que trabalham com manejo florestal no Amazonas.

Entre os debatedores já confirmados estão representantes de instituições-chave neste processo de adequação e fiscalização da madeira: IBAMA, IPAAM (Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas), IDAM (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas), APEFEA (Associação Profissional dos Engenheiros Florestais do Estado do Amazonas) e Greenpeace.

Para Carlos Koury, diretor executivo do Idesam, o principal objetivo do evento é debater a implantação do SINAFLOR a partir das resoluções de manejo florestal ja existentes, assim como esclarecer quais práticas o empreendedor florestal deverá adotar para ratificar que sua atividade segue a legislação vigente.

“Essas duas categorias [pequena escala e várzea] responderam por mais da metade do número de licenciamentos de planos de manejo no Amazonas de 2010 a 2015. Se os manejadores e os profissionais de assistência técnica não estiverem preparados para o novo sistema, o setor florestal, as comunidades e o Estado pode ter muitos prejuízos”, explica.

“O prazo está se esgotando e muitas dúvidas ainda existem, por isso o Idesam contribui com este debate”, comenta Koury.

 

Acesso ao Sinaflor

Conforme o site do Ibama, dois tipos de usuários podem acessar o Sinaflor:

  • Empreendedor: pessoa física ou jurídica que declare ao menos uma das atividades do CTF/APP indicadas na página Acesso de Empreendedor no Sinaflor e esteja em situação regular junto ao Ibama, verificada por meio do Certificado de Regularidade.
  • Responsável Técnico: pessoa física que possua cadastro no CTF/AIDA com o motivo de inscrição adequado, indicado na página Acesso, cadastro e homologação de Responsável Técnico no Sinaflor e esteja em situação regular junto ao Ibama, verificada por meio do Certificado de Regularidade.

Related Posts

Leave a comment