(Português do Brasil) Estados do GCF iniciam construção de sistema de REDD+

Oficina-de-diálogo-entre-povos-indígenas-e-governos-subnacionais-do-GCF-Brasil-Foto-Angela-Peres-Secom-8

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Por Fernanda Barbosa e Felipe Sá
Foto de Angela Peres/Secom

 

Os Estados brasileiros do GCF participaram, entre os dias 27 de fevereiro e 1º de março, da 1ª oficina de construção do SISREDD+ – o Sistema de Informação sobre as Salvaguardas de REDD+. O sistema visa garantir que as iniciativas jurisdicionais e nacionais de REDD+ no Brasil estejam alinhadas com os compromissos assumidos de potencializar seus impactos socioambientais positivos e reduzir impactos negativos.

A oficina, realizada em Rio Branco (AC), é a primeira de uma série de eventos para o desenvolvimento da metodologia de avaliação das salvaguardas de REDD+.

O evento contou com a participação de 53 representantes de 41 organizações, incluindo representantes da sociedade civil, dos governos estaduais (sendo oito amazônicos) e federal, doadores internacionais, sindicatos de trabalhadores, associações e cooperativas, povos indígenas e comunidades tradicionais, o Fundo Amazônia e a academia.

Sendo a primeira edição, o evento focou na definição dos pré-requisitos para o desenvolvimento do SISREDD+ e contou com momentos importantes de alinhamento de conceitos, com representantes dos ministérios do Meio Ambiente (MMA) e Relações Exteriores (MRE), da Secretaria de Meio Ambiente do Acre (SEMA) e do Instituto de Mudanças Climáticas e Regulação de Serviços Ambientais do Acre (IMC).

O Acre foi, mais uma vez, apresentado como uma referência jurisdicional para o cumprimento das salvaguardas de REDD+, e como uma experiência de sucesso na Amazônia.

A oficina promoveu um intenso debate sobre os pré-requisitos do SISREDD+ e colocou em pauta as legislações e políticas nacionais relevantes para cada salvaguarda, assim como compromissos internacionais assumidos, considerando seus princípios orientadores.

Organizados em grupos, os participantes identificaram os alvos temáticos do monitoramento de cada salvaguarda, dando o tom do que será desenvolvido nas oficinas posteriores.

A participação dos estados do GCF Brasil na oficina contribuiu para que a abordagem jurisdicional de REDD+ fosse contemplada pelo SISREDD+, além de ter promovido importantes capacitação e intercâmbios de entendimentos da agenda climática.

Related Posts

Leave a comment