Evento ‘Tamboreando Cultura’ reúne manifestações culturais de Maués

tamboreando-cultura-agm

1° Encontro do Projeto ‘Tamboreando cultura nas águas e florestas da origem do guaraná’, do Grupo de Trabalho de Produção Sociocultural da Aliança Guaraná de Maués.

 

Comunicação Idesam

 

Nesse final de semana, 16 a 18 de março de 2018, ocorreu a primeira ação efetiva do Grupo de Trabalho (GT) de Produção Sociocultural da Aliança Guaraná de Maués, sendo o primeiro intercâmbio entres mestres e mestras do gambá e outras manifestações tradicionais de Maués (AM) na comunidade São José do Paricá, que se encontra no Rio Paricá afluente do Rio Urupadi.

A manifestação Gambazeira integra um conjunto de práticas seculares da expressão cultural local, que originaram do processo de fusão das culturas europeias, africanas e indígenas no decorrer da colonização do Brasil na região, gerando um conjunto de rituais que acompanham os cantos entoados ao som de instrumentos musicais rústicos como o gambá (tambor de tronco oco com couro em uma extremidade), tamborinho, caracaxá e outros, confeccionados e tocados por grupos de anciões sobre a realidade ribeirinha na terra do guaraná, exercendo a função de mestres gambazeiros, sendo Maués um dos últimos redutos do Gambá.

O evento no geral foi para celebrar São José, o padroeiro da comunidade, feita do modo antigo que já não era feito há décadas, com todos os rituais de chegada dos barcos e representação geral na igreja com as ladainhas e rezos pelos mestres, sendo uma festa de muita união e felicidade entre todos os presentes, como disse uma das lideranças da comunidade Adeilson de Souza, o ‘Dedeco’.

O evento foi uma iniciativa da própria comunidade com apoio da Aliança Guaraná de Maués, pelo GT de Produção Sociocultural com seus membros e parceiros como o Ponto Cultuam, os grupos Pingo de Luz, Caminhando com Jesus, Tambores da Floresta, Ambev, Usaid, IDESAM, Mama Ekos, IFAM e outros presentes, com mais de 10 mestres da região e mais de 8 comunidades.

O objetivo principal do encontro é fortalecer, valorizar e disseminar a cultura popular do município de Maués. As manifestações culturais tradicionais sofrem grande pressão dos agentes externos, presentes nos meios de comunicação massificados; as poucas que resistem, ficam restritas a pequenos grupos e se apresentam de forma isolada. É uma grande perda de conhecimento e identidade local.

“Contrapondo a essa realidade, os encontros promovem intercâmbios entre os atuais adormecidos mestres e mestras, valorizando e revivendo a cultura, disseminando o conhecimento às crianças e jovens, na forma de brincadeiras e rodas de trocas de saberes”, explica Eric Brosler, coordenador local da Aliança.

Posts relacionados

Deixe um comentário