Idesam leva Café Apuí Agroflorestal para feira de negócios sustentáveis

Café Apuí Agroflorestal

Marca foi selecionada pelo Sebrae-AM com outras sete iniciativas de bionegócios na Amazônia

 

Por Henrique Saunier

 

No Dia Nacional do Café, comemorado no último dia 24, o Idesam levou o Café Apuí Agroflorestal para uma das maiores plataformas de exposição de empreendimentos sustentáveis, a Green Rio 2018. O convite partiu do Sebrae-AM (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), que selecionou as principais referências em bionegócios para representar o Estado no evento realizado entre 24 e 26 de maio, no Rio de Janeiro.

O Café Apuí Agroflorestal foi exposto no estande do Sebrae Amazonas junto com outras importantes iniciativas do segmento, como a Coopermaués (produção de guaraná), Xingu Fruit (açaí), Biozer da Amazônia (cosméticos e fitoterápicos) e Sítio Lírio do Vale (óleo de coco e cordura de cupuaçu), entre outros.

“O evento é uma oportunidade para o Café Apuí conquistar novos mercados, principalmente no Rio de Janeiro, que vem crescendo e se consolidando no segmento de produtos orgânicos provenientes da Amazônia. Além disso, há oportunidade não só para o comércio nacional, mas internacional, por meio de contato com possíveis negócios em outros Países, como Alemanha e França”, afirma Jônatas Ibernon, quem representa comercialmente o Café Apuí na feira.

Com a estimativa dos organizadores de gerar aproximadamente R$ 12 milhões em negócios nesta edição, desde 2012, o evento Green Rio já vem se firmando como uma atraente plataforma de negócios que reúne expositores, palestrantes e representantes da Economia Verde, dos setores orgânico e sustentável. O público teve a oportunidade de conhecer produtores comprometidos com a alimentação saudável e desenvolvimento sustentável, além de acesso à Conferência Green Rio, com palestrantes do Brasil e de outros Países.

Em um estande com oito empresas selecionadas, o Sebrae Amazonas também participou da programação oficial do evento, dentro do ciclo de palestras sobre o uso e conservação da biodiversidade, patrimônio genético e repartição de benefícios. Na ocasião, a analista de suporte empresarial do Sebrae-AM, Lígia Maria da Silva, apresentou “Um olhar sobre as iniciativas em Bionegócios no Amazonas”.

De acordo com Silva, o setor de Bionegócios é a “alma” da Amazônia e a biodiversidade traz uma oportunidade de desenvolver produtos de base florestal, com amplas possibilidades em mercados cada vez mais conscientes da sustentabilidade ambiental e econômica das populações amazônicas.

“Este evento, por não ser eminentemente comercial (voltado ao consumidor final), ajusta-se na estratégia de gerar negócios mais efetivos, com parceiros e empresas realmente interessadas e com foco na aproximação de mercados. Além disso, há uma programação técnica rica nas temáticas e discussões relacionadas à economia verde, o que traz qualificação aos participantes e experiência de referências internacionais sobre o tema”, destaca a analista do Sebrae-AM responsável pela missão amazonense na feira.

Um dos principais destaques da programação foi a segunda edição do German-Brazilian Bioeconomy Workshop, com a presença de uma delegação alemã composta por empresários e agentes governamentais. Na edição anterior do Green Rio, o Ministério da Agricultura da Alemanha apresentou sua estratégia nacional “Bioeconomia 2030”, que já resultou em investimentos de 2,4 bilhões de euros na área. Na ocasião, também foram apresentadas e discutidas potenciais parcerias entre Brasil e Alemanha.

 

Sobre o Café Apuí Agroflorestal

O Café Apuí Agroflorestal é um produto 100% amazônico, das variedades robusta e conilon, plantado em consórcio com árvores nativas da Amazônia e sem a utilização de produtos químicos. Com processos de secagem e torrefação diferenciados, são produzidos grãos de alta qualidade que apresentam características agradáveis de aroma e sabor. O café, por ser extraforte, rende até ¼ a mais do que outras marcas, gerando economia para o consumidor.

O projeto é desenvolvido pelo Idesam desde 2012 no município de Apuí, localizado na região sul do Amazonas. Por meio de assistência técnica e extensão rural, os agricultores familiares parceiros buscam junto ao Idesam fortalecer a cadeia produtiva do café, visando a melhoria da qualidade de vida e a redução de práticas nocivas ao meio ambiente. Assim, o projeto utiliza uma metodologia que compreende intercâmbios, capacitações, acompanhamento técnico e estruturação das propriedades.

Posts relacionados

Deixe um comentário