Nova linha de chocolates finos da Na’Kau lança barra com Café Apuí Agroflorestal

parceria-nakau-cafe-apui

Produto busca valorizar a agricultura familiar e é fruto de parceria entre Idesam e a Na’Kau

 

Por Henrique Saunier

 

Os amantes de chocolate e café agora podem provar o melhor dos dois mundos, com o lançamento do Chocolate Na’Kau 63% com Café Apuí Agroflorestal, o primeiro de uma linha de chocolates com ingredientes 100% amazônicos. O Idesam é um dos articuladores desta parceria, que além da qualidade do produto final, busca a valorização da agricultura familiar.

Considerado o terceiro maior mercado de chocolates do mundo, o Brasil tem registrado aumentos significativos na produção de chocolates finos, aqueles com no mínimo 40% de cacau. Isso tem levado as empresas a investirem cada vez mais em produtos diferenciados, que ofereçam não apenas o doce em si, mas também todo um contexto social por trás do alimento.

Além do Idesam, que participa do processo com o Café Apuí Agroflorestal, a Na’Kau também lançou chocolates que utilizam produtos manejados em parceria com outras entidades, como a Pimenta Baniwa do Instituto Socioambiental (ISA), e a Castanha da Amazônia da Fundação Vitória Amazônica (FVA).

A proposta inicial de juntar a marca Nakau com outras marcas de produtos com identidade amazônica e responsabilidade socioambiental igual a nossa é um projeto que estamos pensando há algum tempo, e conseguimos concretizar juntando nosso produto com o Café Apuí, a Pimenta Baniwa e a Castanha da Amazônia (FVA).

O lançamento aconteceu no começo de junho, em São Paulo, na Naturaltech, uma das maiores e mais tradicionais feiras de produtos orgânicos e agroecologia da América Latina. Produzido com cacau nativo selvagem de várzea, a matéria-prima vem de fornecedores localizados ao longo do Rio Madeira.

“A gente sempre paga três vezes a mais ao produtor (de cacau) em relação ao que ele vende no mercado local aos atravessadores. Fazemos sempre esse trabalho de capacitação, treinamento, acompanhamento e, para alguns casos, até financiamento para a melhoria de produção, além da introdução de práticas para conseguir a certificação de orgânico”, destaca o proprietário da Na’kau, Arthur Coimbra.

Para Coimbra, o interesse em comum de valorizar o produto amazonense foi essencial para firmar parceria com o Idesam. O coordenador de agroecologia do Idesam, Ramom Morato, concorda com as similaridades entre as propostas e acredita ser importante incentivar iniciativas que ajudam a recompor a floresta.

“Eles também desenvolvem um trabalho com os produtores da agricultura familiar e procuram dar uma identidade amazônica ao chocolate deles, assim como o Café Apuí. A proposta é valorizar o que a Amazônia tem de melhor e seus produtores familiares”, completa Morato.

Os chocolates Na’Kau vão da versão com teor de 54% de cacau até o mais forte, com 81% de cacau, e podem ser adquiridos online ou em restaurantes, cafeterias e empórios espalhados por Manaus, a um preço que varia entre R$ 10 e R$ 16.

Posts relacionados

Deixe um comentário