Novo estudo alia manejo florestal e REDD+ no Amapá

gcf-visita-mazagao-6

Comunicação Idesam

O Amapá é o estado mais conservado da Amazônia, com o índice de 97% de suas florestas preservadas. Para manter esse índice de conservação, é necessário adotar medidas que fomentem, de forma sustentável, o desenvolvimento da população que vem contribuindo, mais do que qualquer outra, para a preservação das florestas brasileiras.

Neste cenário, Idesam e Instituto Estadual de Florestas (IEF) estabeleceram uma parceria com o objetivo de promover o manejo florestal sustentável em Projetos de Assentamento do Amapá.

O trabalho teve início em outubro de 2014 e está focado principalmente em atividades de assistência técnica para o manejo florestal, compreendendo oficinas de capacitação em gestão e governança florestal, elaboração de planos de manejo de pequena escala e inventários florestais.

Em paralelo às ações citadas (e já esperadas em um projeto dessa natureza) as instituições entenderam a necessidade de garantir a futura sustentabilidade financeira dessas ações, sem a dependência de financiamentos externos.

Para isso, a equipe do projeto está dando início a uma série de estudos sobre viabilidade e potencial para iniciativas de REDD+ (Redução de Emissões do Desmatamento e Degradação Florestal) nesses locais. Entre os dias 11 e 13 de abril, Idesam e IEF estiveram reunidos em Macapá para atualização do plano de trabalho.

Além de trabalhar no apoio ao desenvolvimento de projetos de PSA/REDD+ dentro dos assentamentos atendidos, o estudo ganha sentido mais amplo, pois fornecerá subsídios para a construção de um sistema de REDD+ para o Amapá, com benefícios para a gestão florestal do estado como um todo.

“Iniciativas de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) e REDD+ são importantes ferramentas na busca por incentivos financeiros. Estes recursos são fundamentais para a diminuição do desmatamento, a manutenção das florestas em pé e a melhoria da qualidade de vida da população”, explica o gerente do Programa Mudanças Climáticas e REDD+ do Idesam, Pedro Soares.

A proposta preliminar deverá apresentar as diretrizes gerais para monitoramento e contabilidade do REDD+ no Estado, integradas às iniciativas que já estão em andamento no Amapá, na Amazônia e no Brasil, como a Estratégia Nacional de REDD+ e os demais Sistemas de REDD+ já desenvolvidos nos estados amazônicos.

“Adicionalmente, o plano de trabalho prevê a estimativa de alocação de créditos de carbono (REDD+) para as três áreas de assentamento foco deste projeto [PA Serra do Navio, PA Nova Colina e PAE Foz do Mazagão Velho], conectando o manejo florestal sustentável às oportunidades do mercado de carbono”, explica o pesquisador.

O projeto Ligando Mudanças Climáticas e o Manejo Florestal Sustentável em Projetos de Assentamento no Amapá, executado por Idesam e Instituto Estadual de Florestas do Amapá (IEF) é apoiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Posts relacionados

Deixe um comentário