Projeto de mapeamento de recursos de REDD lança portal

site-reddx

Recentemente, a organização Forest Trends lançou o REDD X, um site que tem como proposta monitorar os financiamentos de REDD+ (Redução de Emissões do Desmatamento e Degrada??o Florestal) desde o doador primário até os beneficiários finais.

A ferramenta, construída com o apoio das organizações Ecodecisin, Idesam (Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas) e NCRC (The Nature Conservation Research Centre), também traz informações de como e quando os fundos são gastos nos países pesquisados até então Equador, Brasil, Gana e Vietnã. O objetivo é futuramente expandir para mais nove países.

Para coletar dados que estão no site, o Forest Trends trabalha em parceria com grupos da sociedade civil locais e pontos focais nacionais de REDD+, além de outras partes interessadas na revisão de dados e análise. Através desse processo, o REDD X revela os mecanismos de financiamento de REDD mais eficientes, a distribuição de fundos entre os diferentes tipos de instituições recebedoras e as atividades priorizadas dentro de cada país. O site também busca encorajar discussões mais abrangentes sobre as finanças de REDD+ e enfatizar as lacunas nas políticas nacionais e internacionais de REDD+.

Através do REDDX, é possível explorar:

A quantidade de financiamento público e privado prometida para REDD+ em nível nacional.

O fluxo de finanças de REDD+ entre os doadores e os beneficiários.

Cronogramas entre os fundos que são prometidos e então desembolsados.

Os tipos de atividades de REDD+ com apoio em território nacional.

Para acessar o REDD X, visite o http://reddx.forest-trends.org/ ou, para mais informações, entre em contato com o Forest Trends através do e-mail reddx@forest-trends.org.

Posts relacionados

Comentários (1)

[…] Liderado pelo Forest Trends, o projeto consiste em mapear e categorizar os fluxos financeiros internacionais que chegaram aos países para aplicação em iniciativas de REDD+ durante os anos de 2009-2012. (Saiba mais sobre o projeto aqui) […]

Comentários fechados.