Agroecologia em prática: II Puxirum Agroecológico

DSC02607

Por Marina Yasbek e Ramom Morato*

Entre 26 de fevereiro e 6 de março o Idesam realizou as atividades de implantação de sistemas agroflorestais e oficinas de educação ambiental. As ações fazem parte do II Puxirum Agroecológico, evento dentro do projeto Waraná-Agroecologia. Patrocinado pela Petrobrás e coordenado pela Secretaria de Produção Rural do Estado (SEPROR) e Associação dos Amigos do INPA, o projeto tem como objetivo fortalecer a agricultura indígena, garantir a soberania alimentar e promover a saúde e educação ambiental das comunidades da TI Andirá-Marau.

A coordenação técnica e a execução das atividades ficaram por conta do Idesam e contou com a parceria do Instituto nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) e Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

DSC02492

Nessa etapa, foram implantados três sistemas agroflorestais, momento que representa uma verdadeira oficina prática para os produtores. Sem esquecer-se do guaraná, a passagem de técnicas agroflorestais visam otimizar o uso dos recursos locais e combater as deficiências de produção. Os plantios tiveram ótimo envolvimento dos indígenas e, além de agricultores, muitos jovens e mulheres compareceram. Mais do que tudo, houve muita motivação e estímulo ao aumento da produção, com manejo e enriquecimento de plantios já existentes.

As atividades de educação ambiental foram desenvolvidas junto aos professores, a fim de perpetuar as práticas dentro da rotina escolar. Oficinas de compostagem caseira foram realizadas de forma prática, com o cuidado de apresentar maneiras de reaproveitamento dos resíduos orgânicos presentes nas comunidades, notadamente a cinza da queima da farinha, cascas de manivas e de urucum.

DSC02416

Logo após, relacionando o uso do composto caseiro para o cultivo de alimentos, a comunidade estruturou uma horta para abastecer a merenda escolar, momento que representou a segunda oficina de educação ambiental. Foi discutida a importância das sementes tradicionais (ou não convencionais) e sua importância na soberania alimentar e os cuidados básicos na criação de hortaliças sob a ótica agroecológica.

As novas condições socioambientais na Terra Indígena Andirá Marau, geram a necessidade de revisão e adaptação de suas técnicas agrícolas. Por sua vez, a agroecologia tem a capacidade de adaptar suas ferramentas a essa realidade, respeitando a cultura e as particularidades ambientais e sociais locais.

A Agroecologia visa o abastecimento imediato das famílias agricultoras e, por extensão, das comunidades e cidades próximas (local e regional) com produtos alimentares produzidos sem aditivos químicos, resultantes da interação equilibrada entre o homem e a natureza.

*Marina Yasbek Reia é responsável pelas oficinas de educação ambiental e Ramom Weinz Morato, coordenador de campo e responsável pelos sistemas agroflorestais.

Deixe um comentário