Carta do povo Paiter Suruí às autoridades públicas e à sociedade brasileira

22 de maio de 2012

 

A Associação Metareilá do Povo Indígena Suruí, em conjunto com organizações parceiras (listadas abaixo), vem por meio desta carta solicitar providências urgentes das autoridades estaduais, nacionais e internacionais para nos ajudar a resolver o problema da ação de madeireiros na Terra Indígena Sete de Setembro, em Rondônia, Brasil.

 

Nos últimos meses, os indígenas têm passado por momentos de muita tensão e pressões de madeireiros e fazendeiros sobre seu território, ocasionando conflitos internos e externos, como o aliciamento de alguns Paiter Suruí, que inclusive têm sido presenteados com armas de fogo. Alguns líderes Paiter Suruí, entre eles um vereador, têm sido ameaçados por outros indígenas e não indígenas, os obrigando a se esconder dentro de seu próprio território.

 

A situação acontece justamente no momento em que a etnia tem conquistado reconhecimento internacional por desenvolver trabalhos e parcerias inovadoras, além de possuir o primeiro projeto de REDD+ em terras indígenas validado no Brasil. Os Paiter Suruí também têm sido exemplo de gestão e proteção de sua terra e têm trazido inúmeros benefícios a seu povo e ao estado de Rondônia e ao Brasil.

 

É importante ressaltar que durante essa situação crítica, a comunidade, e suas lideranças, entre os quais se encontra o cacique Almir Suruí, tem trabalhado em conjunto com a Fundação Nacional do Índio – FUNAI, a partir da coordenação regional de Cacoal, de forma a encontrar maneiras de enfrentar às pressões. Apesar disso, é necessária uma ação maior do Estado como um todo para aplicar a lei para que possamos garantir soluções definitivas no território.

 

 

Organizações e empresas que assinam esta carta, além da Metareilá:
– Akashari
– Associação Alternativa Terrazul
– Associação Aquaverde
– Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé
– Bianca Jagger: Founder and Chair, Bianca Jagger Human Rights Foundation/ Council of Europe Goodwill Ambassador/ Member of the Executive Director’s Leadership Council, Amnesty International, USA/ Trustee, Amazon Charitable Trust
– Conservação Estratégica (CSF)
– CoolHow Creative Lab
– Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira – COIAB
– Editora NewBook
– Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam)
– Forest Trends
– Fórum Brasileiro de Ongs e Movimentos Sociais pelo Meio Ambiente e o Desenvolvimento (FBOMS)
– Fundação Amazonas Sustentável (FAS)
– Fundación Avina
– Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO)
– Grupo de Trabalho Amazônico (GTA)
– Instituto Artivisão
– Instituto Centro de Vida (ICV)
– Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam)
– Instituto Floresta Viva
– Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM)
– Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ)
– Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora)
– Instituto do Trópico Subúmido (ITS) da PUC Goiás
– Instituto Internacional de Educação no Brasil (IEB)
– Instituto Socioambiental (ISA)
– Instituto Marina Silva
– Marina Silva, ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente
– Movimento Gota D’Água
– Positive Change Institute Brasil
– Rede Brasileira de Ecossocialistas
– The Inner Game School of Coaching
– WWF Brasil

 

 

Compartilhe esta notícia

Posts relacionados

Deixe um comentário