DOE AGORA

Idesam recebe inscrições para formar Banco de Projetos em Bioeconomia

content image
Idesam recebe inscrições para formar Banco de Projetos em Bioeconomia

Desde março de 2019, o Idesam é a instituição habilitada na coordenação do PPBioeconomia

 

Por Comunicação Idesam
Foto: Divulgação Fapeam/Érico Xavier 

 

A partir desta segunda-feira (16), Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs), startups, incubadoras e empreendedores de impacto positivo ambiental e social em geral, já podem compartilhar suas propostas inovadoras no Banco de Projetos do Programa Prioritário de Bioeconomia (PPBioeconomia), que irá concentrar iniciativas para receber possíveis investimentos provenientes da contrapartida de empresas beneficiadas pela Lei de Informática.

“Parte significativa dos recursos de P&D da Lei de Informática do Polo Industrial de Manaus – mais de R$200 milhões por ano – são destinados a investimentos em PD&I fora da estrutura das empresas do PIM, mas há muitas opções de investimentos e para que cheguem a iniciativas da Bioeconomia é importante que haja bons projetos que gerem novos produtos, serviços e processos”, afirma Carlos Koury, coordenador do PPBioeconomia e diretor técnico do Idesam.

Para formar o Banco de Projetos em PPBioeconomia estão disponibilizados três formulários distintos: um voltado para Empresas/Startups , outro para ICTs e o último, para Incubadoras. Todos podem ser acessados nesta página.

O PPBioeconomia aceita projetos que visem o desenvolvimento de soluções para a utilização econômica sustentável da biodiversidade, incluindo a prospecção de princípios ativos e novos materiais a partir da biodiversidade amazônica, biologia sintética, nanobiotecnologia, sistemas e tecnologias que deem suporte às cadeias produtivas sustentáveis, negócios de impacto positivo social e ambiental, e também iniciativas de biorremediação, tratamento e reutilização de resíduos

Segundo o superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da Suframa, Alcimar Marques esses projetos devem agregar valor ao ecossistema a essa nova matriz econômica que a Suframa busca desenvolver.

Além do Programa Prioritário de Bioeconomia, os recursos também serão disponibilizados para projetos com outras temáticas abordadas pelos programas, que abrangem ainda Economia Digital, Formação de Recursos Humanos e Fomento ao Empreendedorismo Inovador. Todos os quatro programas são geridos e fiscalizados pelo Comitê das Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento na Amazônia (Capda).

 

Relacionados

WordPress Lightbox Plugin