(Português do Brasil) Carbono Neutro é cadastrado no Banco de Tecnologias Sociais da FBB

img-carbononeutro-bts

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Comunicação Idesam

 

A partir de setembro de 2017, o Carbono Neutro (PCN) Idesam é uma das iniciativas que compõem o Banco de Tecnologias Sociais (BTS) da Fundação Banco do Brasil.

O BTS é uma base de dados com informações sobre as tecnologias certificadas pelo Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, realizado a cada dois anos desde 2001. O objetivo é conectar as organizações, empresas e pessoas que buscam replicar iniciativas com comprovado impacto social.

>> Acesse a página do Carbono Neutro no BTS

Para Ramom Morato, coordenador de Agroecologia do Idesam, esse reconhecimento celebra que o Carbono Neutro, muito além de um programa ambiental, promove também benefícios sociais para os comunitários participantes. “Sempre foi um dos valores do Carbono Neutro: trabalhar com a valorização das pessoas”, explica.

Isso se deve a um dos principais diferenciais do programa: as mudas são plantadas através de um sistema agroflorestal, que ajudar a gerar alternativas de renda, segurança alimentar e qualidade de vida aos moradores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã. As áreas degradadas e improdutivas da reserva são transformadas em ‘florestas produtivas’, que sequestram o CO2 da atmosfera ao mesmo tempo em que fornecem matéria-prima para os moradores.

Segundo Ramon, o BTS é um local de interação e aprendizado: “O Banco de Tecnologias Sociais é um lugar onde as pessoas sabem que encontrarão projetos de impacto social e ambiental realmente eficientes. É onde as tecnologias podem procurar por outras tecnologias, dialogar entre si, conhecer iniciativas que estão dando certo e replicar exemplos positivos, além de aprender novos caminhos que levam à sustentabilidade”.

 

Critérios de avaliação

Todo o processo é realizado por uma comissão técnica da Fundação Banco do Brasil. Dentre os critérios de avaliação estão: estar em atividade há pelo menos dois anos, possuir evidências de transformação social, estar sistematizada a ponto de tornar possível sua reaplicação em outras comunidades, interação da comunidade e respeitar os princípios e valores de protagonismo social, cuidado ambiental, respeito cultural e solidariedade econômica.

Com a certificação, as tecnologias passam a fazer parte do Banco de Tecnologias Sociais e podem utilizar o Selo de Certificação de Tecnologia Social pela Fundação Banco do Brasil nos materiais de divulgação e comunicação referentes à iniciativa certificada.

 

Leave a comment