Idesam e Incra intensificam atividades em assentamentos do Amazonas

atividade-assentamento-agroflorestal

Texto: André Vianna e Samuel Simões Neto
Colaboração: Andreson Ferreira
Foto: Caio Cunha

Em apenas um mês, a equipe de técnicos do Idesam realizou mais de 30 atividades de assistência técnica nos projetos de assentamento que integram o Projeto ATES (Assessoria Técnica, Social e Ambiental), desenvolvido através de chamada pública do Incra Amazonas.

Os seis assentamentos beneficiados pelo projeto estão localizados na zona rural de Manaus (PA Tarumã Mirim e PDS Cuieiras Anavilhanas) e Presidente Figueiredo (PA Canoas, PA Rio Pardo, PA Uatumã, PDS Morena) e abrigam 1.007 famílias que vivem principalmente da produção agrícola e artesanal e piscicultura.

De acordo com o coordenador do projeto, o engenheiro florestal André Vianna, as atividades envolvem apoio à produção e à comercialização e também contemplam ações de promoção da saúde. “Entre 15 de setembro e 15 de outubro, além das 32 atividades de ATES, também foram realizadas 70 visitas técnicas aos assentados”, contabiliza.

Produção e comercialização

A fim de promover a venda da produção agrícola de forma coletiva a programas governamentais de compras, foram realizadas, no PA Tarumã Mirim, oficinas para o desenvolvimento de calendários agrícolas e reuniões de organização da produção. No PDS Cuieiras Anavilhanas foram realizadas reuniões com grupos de mulheres, cursos para fomentar a criação de aves e atividades de apoio à produção orgânica.

De acordo com Vianna, os próprios comunitários e lideranças locais identificaram as atividades como prioritárias, pautando várias atividades do projeto.

“A criação de galinha caipira é uma atividade com grande potencial de geração de renda e segurança alimentar das famílias. Somadas a essa, foram realizados cursos de adubação orgânica, práticas de implantação de hortas orgânicas, implantação de Sistemas Agroflorestais (SAF) e de viveiros de mudas”, destaca.

Em Presidente Figueiredo as ações de capacitação contemplaram temas como adubação verde, montagem de aerador para piscicultura e criação de peixes em canal de igarapé. Além das oficinas, a equipe de assistência técnica trabalhou junto aos assentados do PDS Morena na abertura e limpeza de trilhas nas cachoeiras, visando fomentar o turismo no PDS Morena.

Os técnicos também apoiaram a participação das artesãs dos PA Canoas e Rio Pardo em uma feira de artesanato e gastronomia realizada em parceria com o Sebrae Amazonas e a Prefeitura Municipal de Presidente Figueiredo.

Saúde

Através de parcerias com as secretarias municipais de Saúde  de Manaus e de Presidente Figueiredo, o projeto também realizou uma série de atividades de conscientização e atendimento médico nos assentamentos do dois municípios.

Na capital, a atividade foi concretizada no ramal Novo Amanhecer, na área do PA Tarumã Mirim. Enquanto a equipe da secretaria realizava consultas médicas, coleta de sangue para exames diagnósticos de malária, pesagem e medição de crianças, vacinação e exames de glicemia; a assistente social Adriana Micheline, do Idesam, tirava dúvidas sobre benefícios sociais, como aposentadoria, salário-maternidade e auxílio-doença.

Em Presidente Figueiredo, a Escola Municipal Marcos Freire (PA Uatumã) foi sede de palestras sobre controle de endemias – dengue e febre Chikungunya – e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). “A educação para prevenção de endemias é fundamental, principalmente em nosso município, onde já ocorreram dois surtos de dengue na área rural em 2014 e 2015”, comentou a técnica Cristiane Sales Girão, palestrante cedida pela secretaria municipal de saúde.

As atividades de ATES do Idesam, com apoio do Incra, são divididas em temas e contemplam capacitação, transferência de tecnologias sociais, implantação de Unidades Demonstrativas (UD) e o apoio à produção e à comercialização. Paralelamente, são realizadas ações de assistência social e, com apoio de parceiros, de saúde.

“Para o próximo período de atividades, além das ações já programadas sobre produção rural, queremos intensificar as atividades de troca de informações e conscientização para evitar as queimadas, que causam danos não só no campo, mas também na zona urbana de Manaus”, destaca Vianna.

Posts relacionados

Deixe um comentário