Auditoria aprova prestação de contas de projeto com recursos do Fundo Amazônia

Seminário_Médio_Juruá-Bruno_Bimbato (618)

Atualmente o projeto Cidades Florestais é financiado pelo Fundo Amazônia/BNDES

 

Por Comunicação Idesam
Foto: Divulgação ICMBio/Bruno Bimbato

 

Após auditoria de dois meses realizada por uma empresa internacional independente, o Idesam teve a prestação de contas da primeira parcela do Projeto Cidades Florestais com o Fundo Amazônia/BNDES aprovada sem ressalvas. A aprovação confirma a boa prática habitualmente adotada pelo instituto na gestão de seus projetos, demonstrando eficiência e responsabilidade na aplicação dos recursos.

“Auditoria externa independente é uma prática do Idesam, e para um projeto com apoio do Fundo Amazônia preferimos fazer uma auditoria específica para o projeto, separada da auditoria anual, por se tratar de um recurso gerido por um banco público, onde não pode haver dúvidas de sua aplicação”, afirma o diretor-técnico do Idesam, Carlos Koury. A auditoria reafirma o acompanhamento e controle do BNDES, que também aprovou a execução técnica e financeira do projeto.

Na auditoria, foi analisada a organização documental, a lista de despesas realizadas no período e, posteriormente, esses dados foram comparados com o orçamento submetido ao BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social). O parecer final foi elaborado pela Baker Tilly, uma das principais redes mundiais de empresas independentes de contabilidade e consultoria empresarial.

“Esse resultado só é conseguido através da execução do projeto com bons princípios e procedimentos, via gestão integrada, entre equipe técnica, administrativa e, principalmente, financeira. O resultado gera um enorme impacto positivo para as futuras submissões de projetos, onde o financiador poderá atestar a idoneidade e capacidade de gestão da Instituição”, reforça a diretora-executiva do Idesam, Paola Bleicker.

Coordenador do projeto Cidades Florestais, André Vianna, ressaltou que o resultado positivo da auditoria permite ao Idesam garantir que a execução da parte financeira do projeto está de acordo com as normas contábeis da legislação brasileira e regras do BNDES. Para Vianna, a auditoria permite que o projeto continue levando bons resultados para as 14 organizações comunitárias distribuídas no interior do Amazonas e que estão envolvidas com o Projeto.

Para conhecer mais sobre o Cidades Florestais e os seus resultados, acesse a página oficial do projeto.

Posts relacionados

Deixe um comentário