Parceria com Instituto Beraca e DoTerra possibilita entrega de doações a famílias agroextrativistas

content image
Parceria com Instituto Beraca e DoTerra possibilita entrega de doações a famílias agroextrativistas

Durante pandemia, doações vão ajudar a amenizar as dificuldades enfrentadas em comunidades remotas, afetadas pelo avanço da doença

Por Priscila Rabassa
Foto: Divulgação Sema-AM/Aldeiza Lago

Uma ação conjunta do Regatão do Bem, do Idesam, com o Instituto Beraca (IB) e DoTerra, por meio do projeto Unidos Contra a Covid-19 em territórios agroextrativistas na Amazônia, doou 70 cestas básicas às populações em vulnerabilidade por causa do novo coronavírus, nos municípios de Apuí e Silves, no Amazonas. 

De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS/AM), até o momento, 126 casos foram registrados em Apuí e 257 confirmados, com 5 mortes pela Covid-19, na região de Silves. O estado do Amazonas já ultrapassa a triste marca dos 113 mil casos confirmados e mais de 3.500 mortes pela doença.

A iniciativa da parceria surgiu a partir do monitoramento realizado durante a pandemia em comunidades onde as instituições atuam com projetos de valorização e uso sustentável de recursos naturais, visando a conservação ambiental, o desenvolvimento social e a redução dos impactos ambientais nocivos que contribuem para as mudanças climáticas do planeta.

“É evidente que, por causa da pandemia, as comunidades ficaram mais vulneráveis. A diminuição da renda familiar, a insegurança alimentar e o acesso limitado a tratamento de saúde de qualidade são fatores que contribuíram para piorar a situação nessas regiões remotas”, afirma André Vianna, gerente de programa de manejo e tecnologias florestais do Idesam.

Visando minimizar os problemas nessas comunidades de difícil acesso e muitas vezes excluídas de seus direitos, a equipe do Regatão do Bem se organizou para realizar a distribuição de cestas básicas, priorizando as famílias mais impactadas pela crise. Ao todo, foram entregues 1.225 kg de alimentos e produtos de limpeza. Cerca de 350 pessoas foram beneficiadas.

Em Apuí, no sul do Amazonas, a ação teve início no Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) Aripuanã- Guariba, seguindo para o Projeto de Assentamento (PA) Rio Juma. A entrega ocorreu no período de 21 a 23 de julho, e beneficiou 42 famílias que passam por dificuldades para comercializar seus produtos e, consequentemente, estão com a renda afetada.

Uma das beneficiadas foi a agricultora, Lúcia Corrêa Dias, moradora da Vicinal Raulino, no PA Juma, que recebeu com muita alegria e alívio a doação. “A cesta veio em boa hora. Vai ajudar muito a enfrentar esse momento tão difícil que estamos vivendo”, desabafa.

O Idesam, que atua na região desde 2012, presta assistência na cadeia de produção e comercialização do Café Apuí Agroflorestal e Café Apuí Orgânico, apoiando cerca de 30 produtores rurais. Em 2018, por meio do projeto Cidades Florestais, começou a apoiar comunidades ribeirinhas do PAE Aripuanã – Guariba, na extração e comercialização do óleo de copaíba e castanha, valorizando o trabalho dessas famílias ao contribuir com a geração de renda e qualidade de vida nas comunidades tradicionais.

Em Silves, região metropolitana de Manaus, a expedição aconteceu no período de 14 a 16 de agosto, nas comunidades São Pedro, Nossa Senhora Aparecida, Curuaçá e Sagrado Coração de Jesus, zonas rurais. Na ocasião, 28 famílias que têm o extrativismo como renda principal para viver, foram beneficiadas.

Comunidade Sagrado Coração de Jesus, em Silves-AM

Uma das voluntárias da ação em Silves, Monaila de Souza Carvalho, diz estar orgulhosa de poder apoiar o projeto e ajudar as pessoas que precisam. “Fico feliz em ajudar a trazer um pouco de alívio para essas famílias que tanto precisam. Sentir a gratidão de cada um ao receber a doação, não tem preço”.

Unindo forças

Para Ana Carolina Vieira, diretora executiva do IB, a iniciativa promove o isolamento social como melhor forma de prevenção e precaução contra a propagação da Covid-19, além de levar informações de saúde, práticas de higiene pessoal e domiciliar capazes de colaborar com a melhoria da saúde da população nos territórios comunitários da Amazônia.

“No último mês, distribuímos 8 toneladas de alimentos e promovemos iniciativas de educação preventiva ao Covid-19. São iniciativas importantes para apoiar a segurança alimentar nesses territórios vulneráveis que tiveram suas economias extremamente afetadas pela pandemia e, com isso, diminuir a pressão pelos recursos florestais como fonte de recurso emergencial”, declara.

Até agora, o Regatão do Bem, com o apoio de seus parceiros, já apoiou 7 municípios do estado do Amazonas com a distribuição de mais de 78 toneladas de alimentos, produtos de higiene, medicamentos e equipamentos de proteção individual (EPI´s), impactando positivamente na vida de mais de 18 mil pessoas.

O sonho do Regatão do Bem e seus parceiros, como DoTerra e IB, é o mesmo da Monaila, voluntária da ação no município de Silves; continuar recebendo doações para aumentar o número de famílias beneficiadas pelas ações. Por isso, empresas, instituições ou pessoas físicas que queiram contribuir podem entrar em contato pelas redes sociais no FacebookInstagram ou Twitter (@idesam), ou fazer a doação diretamente no link idesam.org/apoie.