Mapeamento Participativo da Florest Maués

O mapeamento participativo constitui uma das primeiras etapas da elaboração do Plano de Gestão de uma Unidade de Conservação. O Mapeamento Participativo aliado às técnicas de Sistema de Informações Geográficas (SIG) auxiliam na espacialização das práticas agroextrativistas comunitárias e auxiliam no delineamento do zoneamento da UC. Com o SIG da UC estabelecido a partir do mapeamento de uso dos recursos naturais, toda a gestão da UC pode ser realizada geograficamente, servindo de planejamento, monitoramento e avaliação remota das práticas agroextrativistas que serão praticadas futuramente na Unidade de Conservação.

Informações espacializadas demonstram por mapas temáticos as áreas reais de uso dos recursos, apresentando as toponímias locais dos rios e igarapés, a distribuição das áreas de extrativismo e recursos pesqueiros, abundância regional dos recursos naturais, formas e intensidade de exploração por área de exploração, tempo, período e época de exploração, quantidade explorada, forma de escoamento, beneficiamento e comercialização (quando houver) do produto extrativista. Além disso, a espacialização dos dados permitem a análise integradas de diferentes usos que ocorrem em um mesmo loca, praticados por diferentes usuários, caracterizando assim áreas de maior pressão sobre os recursos naturais.

Mapa de Atuação

Nossos parceiros

SEMA

Deixe um comentário