Dia de Doar reforça a importância de tornar a solidariedade um ato permanente

content image
Dia de Doar reforça a importância de tornar a solidariedade um ato permanente

Primeira edição completamente online acontece no próximo dia 1º de dezembro

Por Comunicação Idesam
Imagem: Divulgação

Uma pesquisa recente do Instituto Datafolha aponta que 96% dos brasileiros desejam ser mais solidários. No próximo dia 1º de dezembro, essas pessoas poderão colocar seu desejo em prática, com a edição 2020 do Dia de Doar, campanha que acontece simultaneamente em mais de 70 países e que novamente conta com a participação do Idesam. 

Neste ano, espera-se também que o Dia de Doar estimule ainda mais doações para combater os efeitos do coronavírus. De acordo com o Monitor das Doações COVID-19, as doações com este fim alcançaram a inédita marca de 6 bilhões de reais. Ao mesmo tempo, a data quer reforçar que doar pode se tornar um ato permanente, que independe de situações de emergência.

Por esse motivo, o Idesam se junta à campanha com a peça inédita “Todo Dia é Dia de Doar”, que visa sensibilizar o público com a causa da proteção da Amazônia durante o ano todo. Atualmente, menos de 7% dos recursos do Idesam são provenientes de doações espontâneas. Acesse nossa seção “Apoie” e saiba como contribuir com menos de um real por dia. 

“O movimento visa juntar pessoas que querem fazer o bem e tornar o País um pouco mais generoso e solidário a causas, sejam elas ambientais ou sociais. Toda essa união de várias entidades e pessoas de diferentes cantos no Dia de Doar também é importante para nos mostrar que você pode estar no Sul, Sudeste ou qualquer lugar do País e do mundo, e mesmo assim causar um impacto positivo na Amazônia com a sua doação”, afirma Paola Bleicker, diretora executiva do Idesam. 

Atualmente, os recursos recebidos pelo Idesam são aplicados em programas focados na prevenção e redução do desmatamento, mitigação das mudanças climáticas, capacitação de comunidades tradicionais para atividades produtivas agroextrativistas sustentáveis, erradicação da pobreza, promoção da conservação florestal e manejo dos recursos naturais na região da Amazônia brasileira.

A diretora-executiva explica ainda que quase 100% do recurso captado pelo Idesam por meio de editais chega “carimbado”, o que impossibilita investir em melhorias e fortalecimento institucional. Assim, é preciso garantir a sustentabilidade financeira, para que o instituto continue agindo nas lacunas deixadas pelo poder público e que muitas vezes, não é possível, por falta de recurso.

Em sua oitava edição no Brasil, a cada ano, a data tem por objetivo engajar a sociedade com causas e organizações, por meio de doações. Mas além das doações em dinheiro, a campanha também visa estimular milhões de pessoas em todo o País a realizarem ações de generosidade, inspirando outras pessoas a fazerem o mesmo, em um grande onda de solidariedade e doação.

Mobilização solidária

Inspirado por sua experiência ano passado com famílias produtoras parceiras do Idesam, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã, o inglês Will Rawlingson decidiu que queria queria contribuir mais com a Amazônia e as soluções desenvolvidas por institutos como o Idesam. Após passar duas semanas na RDS do Uatumã visitando famílias e medindo o impacto socioambiental do Programa Carbono Neutro nas pessoas, Will voltou para sua terra transformado pela vivência com a realidade local. 

Foi quando ele resolveu mobilizar amigos e empresas ao retornar para Londres e, ao completar 21 anos, em vez de presentes, o jovem pediu doações em uma campanha de financiamento coletivo online, que arrecadou cerca de 6 mil libras. Todo o dinheiro arrecadado foi destinado para o Programa Carbono Neutro, que plantou 600 árvores na RDS do Uatumã, ajudando as famílias e contribuindo para a recuperação de áreas degradadas. Além disso, a doação também foi destinada para outras iniciativas do instituto. 

“Para mim é um grande prazer estabelecer essa parceria de doação com o Idesam. Meu objetivo sempre é conectar cada vez mais empresas e pessoas ao redor do mundo, para que possamos causar um impacto positivo maior ainda. Toda essa iniciativa foi para conectar as pessoas dessa parte do mundo (Europa) com a Amazônia e acredito que estamos conseguindo fazer isso, mas queremos e podemos fazer mais”, ressalta o jovem.

​Sobre o Dia de Doar

Desde 2013 o Brasil participa do Dia de Doar, que começou um ano antes nos Estados Unidos, criado pela organização nova-iorquina 92Y. Atualmente a campanha é mundial e conta com a participação oficial de 72 países. O #GivingTuesday (terça-feira de doação), como é conhecida a data, é promovido sempre na primeira terça-feira depois do Thanksgiving (Dia de Ação de Graças). O Dia de Doar é realizado pelo Movimento por uma Cultura de Doação, rede formada por pessoas e organizações que se articulam voluntariamente no propósito de enraizar a doação como parte de nossa cultura.

A Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR) é organizadora do Dia de Doar e representante oficial da data no Brasil. A mobilização, este ano, conta com a parceria estratégica da Fundação José Luiz Egydio Setúbal, Instituto Mol, Movimento Bem Maior e Umbigo do Mundo.