Trabalho desenvolvido em Apuí é apresentado na Costa Rica

Galeria Intercambio Pecuaria

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Dois artigos científicos sobre a região sul do Amazonas, realizados pela equipe de pesquisadores do Idesam (Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas) serão apresentados, durante esta semana, no Terceiro Congresso Latinoamericano da União Internacional de Organizações de Pesquisa Florestal (IUFROLAT). O evento acontece entre os dias 12 e 15 de junho, em San Jose, na Costa Rica.

O primeiro artigo – “Combate ao desmatamento e Governança na Amazônia : potencial e cuidados para atividades de REDD no Sul do Amazonas” – trata da questão do desmatamento no sul do Estado sob uma perspectiva histórica e política. Em foco estão os municípios de Lábrea, Boca do Acre, Apuí e Manicoré, que sofrem restrições governamentais em razão do alto índice de desmatamento.

Esses municípios tem grande potencial para projetos de REDD+ (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal. Contudo, para implantar um mecanismo e assegurar seu benefício climático real é necessário lidar com vários aspectos metodológicos e de aumento de governança.

“Além de fornecer opções de geração de renda sustentável para os produtores rurais, o maior desafio para reduzir o desmatamento é lidar com os migrantes do Acre e Rondônia, que trazem seus investimentos para ocuparem terras e desmatar”, explica Gabriel Carrero, coordenador do Programa Mudanças Climáticas e Serviços Ambientais do Idesam e autor principal dos artigos.

No segundo estudo: “Integrando alternativas produtivas sustentáveis e governança territorial e ambiental na Amazônia brasileira: a experiência de Apuí na rodovia Transamazônica”, os autores apresentam o trabalho desenvolvido pelo IDESAM em Apuí, sul do Amazonas, desde 2007, quando começaram os trabalhos de diagnóstico dos gargalos produtivos e técnicos, alianças com instituições locais e começou a desenhar suas ações.

O trabalho de implementação de ações estruturantes do Instituto na região começou em 2011, através do fomento de iniciativas, capacitação e construção de estratégias que forneçam alternativas produtivas para uma economia de baixo carbono.

O Idesam também participará da Força Tarefa IUFROLAT de Governança Florestal Internacional, no dia 11 de junho. O evento, iniciativa de Universidade de Yale e a rede IUFRO, quer colocar especialistas e pesquisadores para avaliar estudos que capturam a visão e os desafios mais atuais sobre governança florestal global. Gabriel irá comentar e avaliar o trabalho sobre salvaguardas de REDD+ e perspectivas locais no Peru.

Related Posts