Idesam viabiliza 135 toneladas de calcário para produtores de Apuí

distribuicao-calcario-apui

Por Priscila Rabassa

O Idesam viabilizou, na última semana, 135 toneladas de calcário e mais de 5 mil quilos de adubo aos pecuaristas cadastrados no projeto Semeando Sustentabilidade em Apuí (SSA).

Os produtos serão utilizados na correção dos solos das unidades demonstrativas (de pecuária) localizadas nos setores de Três Estados e Coruja, zona rural do município. Para contribuir com a logística, o Idesam contou com o apoio da Prefeitura de Apuí que disponibilizou caminhões para transportar os produtos até as propriedades.

A distribuição de calcário e adubo faz parte do Projeto SSA desde que o mesmo foi implantado, em 2011. O objetivo do projeto é aprofundar e ampliar os estudos de recuperação e manejo de pastagens para a implementação nas propriedades rurais de Apuí.

“Por meio de um modelo de produção pecuária incorporamos elementos de manejo, intensificação e recuperação de pastagens, com a meta de aumentar os benefícios econômicos, sociais e ambientais das propriedades”, diz o técnico em Agropecuária Adalberto Vicente, do Idesam.

Na primeira fase do projeto, foram selecionadas quatro propriedades para estudo com o objetivo de entender a região e o sistema de produção existente. O próximo passo foi definir estratégias para a implantação de um novo modelo de produção pecuária, com mais rentabilidade e menor impacto ambiental. Nessas propriedades foram implantadas Unidades Demonstrativas (UDs) de Pecuária Semi-Intensiva, que foram monitoradas periodicamente pela equipe técnica do Idesam.

Durante as visitas, a equipe verificou o ganho de peso do rebanho ou produção leiteira, crescimento e qualidade do capim e o retorno financeiro para o pecuarista. Os primeiros resultados obtidos já mostraram um aumento de produção expressivo para a região, passando de um modelo extensivo para um semi-intensivo com potencial para triplicar a produtividade no município, aumento da renda dos produtores, melhorias na qualidade das pastagens e comprometimento dos produtores com a recuperação de suas áreas de preservação permanente (APPs).

De acordo com o pecuarista Ivo Ferrasso, proprietário de uma das fazendas selecionadas na primeira fase do projeto, o SSA é importante para a região tanto no âmbito econômico como no ambiental. “Esse é um investimento importante, pois além de aumentar a produtividade na fazenda, também contribui para diminuir o desmatamento na região”.

Com o resultado positivo, foram selecionadas mais quatro propriedades rurais para participarem da segunda fase do projeto. A primeira ação foi delimitar as novas UDs para aplicação do calcário e adubo verde para implantação do sistema silvipastoril (a incorporação intencional de árvores e arbustos nas áreas de pastagens).

Esse sistema apresenta potencial de benefícios econômicos e ambientais para o produtor, pois a produção é intensificada com mais biomassa para forrageiro, além de aumentar o bem estar animal, com a sombra e umidade das plantas. Assim, o gado, ao invés de comer apenas capim, alimenta-se de folhas e frutos de árvores e arbustos em meio a pastagens. Com essas melhorias, o gado apresenta maior crescimento e produtividade de carne e leite e atinge a puberdade mais precocemente, aumentando a taxa de concepção e a regularidade do seu período fértil.

Os próximos produtores a receberem o benefício são os 28 agricultores cadastrados no Projeto Café, também promovido pelo Idesam no município.

Posts relacionados

Comentários (1)

Deixe um comentário