Festival destaca potencial do Tarumã Mirim para a piscicultura

content image
Festival destaca potencial do Tarumã Mirim para a piscicultura

[:pt]Por Izamir Barbosa

Nos dias 4, 5 e 6 de setembro, os produtores do assentamento Tarumã Mirim, localizado na zona rural de Manaus, estiveram reunidos para a segunda edição do Festival do Tambaqui, Matrinxã e Agricultura Familiar, realizado pelo conselho de associações do assentamento (também conhecido como ‘Conselhão’). O evento recebeu apoio de Incra e Idesam.

O evento iniciou na sexta-feira (4), com a entrega de alevinos pela Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror) aos piscicultores do assentamento e de comunidades próximas. Exemplares de tambaqui, matrinxã e pirapitinga foram distribuídos para os assentados cadastrados pela Associação de Piscicultores do Tarumã Mirim.

>> Confira as fotos do evento na fanpage do Idesam

Segundo Edson Luniere, engenheiro de pesca da Sepror, os piscicultores receberam alevinos adaptáveis aos seus sistemas de cultivo. Além da distribuição, foram feitas recomendações sobre boas práticas de criação de cada uma das espécies.

“Cada produtor recebeu, em média, quinhentos a mil alevinos, sendo o tamanho da área de produção de cada um a variável determinante para a quantidade”, disse.

O sábado foi o dia principal do evento, que contou com uma feira de produtos e uma programação de cursos e palestras. Além dos tambaquis e matrinxãs que dão nome ao festival, a feira contou com barracas de comidas típicas, artesanatos, remédios e produtos fitoterápicos, entre outros produtos do Tarumã Mirim.

Entre as atividade de capacitação, os assentados participaram de um curso de retirada de espinha de peixe e fizeram uma visita a tanques-rede locais. O Idesam realizou a palestra “Criação de Peixes – Uma alternativa sustentável para os assentamentos da reforma agrária”, onde trouxe discussões sobre soluções rápidas e eficazes de criação de peixes e aeração (processo que incorpora ar na água) em tanques de piscicultura, dicas para manutenção de viveiros e arraçoamento (fornecimento de ração) para o crescimento dos peixes.

Ainda no dia 5, os assentados organizaram uma mesa-redonda com o Incra para discutir o potencial da piscicultura e agricultura familiar do Tarumã Mirim; os avanços da produção e necessidades de melhoria. Dentre os resultados, foi sugerida a elaboração de um diagnóstico para conhecer melhor o assentamento no quesito de titulação e regularização dos lotes, atividade que deve ocorrer preferencialmente de forma paralela à assistência técnica.

Cleonaldo Costa, presidente do ‘conselhão’, acredita que gradativamente o Assentamento do Tarumã Mirim pode virar referência em produção de peixes na região. “A piscicultura do Tarumã Mirim tem um potencial enorme e pode tornar-se carro-chefe da comunidade. A parceria com Idesam e Incra é muito importante para que consigamos trazer desenvolvimento para região e mostrarmos juntos a cara do Tarumã Mirim”, afirma.

Além de atividades dirigidas aos piscicultores, o evento dedicou espaço também para atividades esportivas e culturais entre os assentados, com apresentações musicais, torneio de futebol e o concurso que elegeu a “Miss Tarumã-Mirim”.

[:]