DOE AGORA

Nova marca do Café Apuí representa expansão do projeto

Nova marca do Café Apuí representa expansão do projeto

Em parceria com a empresa FutureBrand, Idesam e startup Amazônia Agroflorestal lançam nova identidade visual do produto.

 

Por Comunicação Idesam
Com informações da FutureBrand

 

Conhecido como mês da Amazônia, setembro marcou também uma nova fase para um produto que tem a região como protagonista. O Café Apuí, que tem como pilar fundamental o manejo responsável e a criação de oportunidades para a comunidade local, evolui sua marca em um momento de expansão.

“Nossa intenção ao mudar a marca do Café Apuí Agroflorestal é marcar uma nova fase para o Projeto. E isso através de uma nova identidade que falasse em todos os aspectos sobre a Amazônia. Seja nas cores, símbolo, tipografia, os desenhos”, explica Jonatas Machado, diretor comercial da Amazônia Agroflorestal.

A nova fase citada por Jonatas tem como palco principal o município berço do projeto, Apuí, no sul do Estado do Amazonas. Hoje com 28 famílias envolvidas apenas no plantio, a expectativa do Idesam é que esse número seja multiplicado nos próximos meses, com a implantação de 175 hectares de novos sistemas agroflorestais (SAF) em Apuí.

A expansão é possível graças a parcerias do Idesam com investidores, como WeForest e a ReNature.

Na ocasião do lançamento, realizado de forma digital nas redes sociais, os parceiros do Idesam destacaram alguns elementos utilizados e seus significados.

“Exploramos a brasilidade em uma identidade que respeita e valoriza o que faz parte do bioma amazônico, mantendo vivo não só o olhar para comunidade e seu potencial de desenvolvimento como também o destaque para a agrofloresta, em um novo olhar para Amazônia”, explica Nelio Bernardelli, líder do projeto na FutureBrand São Paulo.

Extraídas da natureza, as cores traduzem o cotidiano do Café Apuí e reverenciam o que o ecossistema tem de mais icônico: o marrom da terra, o amarelo do sol e o azul do céu.

Bernardelli destaca ainda a forma como as ilustrações foram concebidas: em linhas contínuas. “Essa expressão visual reforça a ideia de um modelo de negócio que interliga de forma positiva o café, a comunidade local e a floresta.

E como nada existiria sem os agricultores, eles estão presentes nas linhas dessa nova identidade, para representar a comunidade e seu ecossistema. “Esse foi o principal motivo de mudarmos. Queríamos representá-los através de uma marca que demonstrasse cada vez mais o nosso trabalho prol da Amazônia em pé”, finalizou Jonatas Machado, da Amazônia Agroflorestal.

 

O projeto Café em Agrofloresta

Oitavo município do Brasil com a maior taxa de desmatamento decorrente da produção pecuária insustentável e sem ganhos sociais, Apuí/AM se tornou o cenário ideal para a implantação de um programa voltado à regeneração de terras degradadas. Por meio da iniciativa de resgate e valorização das tradições da agricultura familiar, aplicando técnicas de Sistemas Agroflorestais (SAFs), desde 2012 o Idesam e agricultores locais trabalham juntos no projeto Café em Agrofloresta.

Com o uso de tecnologias adequadas e acessíveis aos produtores, além de regenerar áreas degradadas, o fomento à atividade trouxe benefícios sociais e econômicos para as famílias envolvidas no projeto ao longo de toda a cadeia produtiva. O projeto oferece todo um suporte aos produtores, desde a coleta das sementes para produzir as mudas até a comercialização do café.

Com todo esse trabalho de apoio na cadeia local, o projeto gerou dois produtos: o Café Apuí Agroflorestal (o primeiro do tipo na Amazônia) e o Café Apuí Agroflorestal Orgânico, que despontam como uma alternativa sustentável de geração de renda para conter o desmatamento. Para mais informações, acesse idesam.org/cafe-em-agrofloresta/