Novo guia busca reconhecer papel de empresas e comunidades na conservação florestal

content image
Novo guia busca reconhecer papel de empresas e comunidades na conservação florestal

[:pt]Por Lucas Moreno

 

As comunidades e empresas que contribuem com a conservação das florestas amazônicas, e consequentemente com a redução das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEEs), acabam de ganhar um reforço: o Idesam e a Natura acabam de lançar um guia metodológico simplificado para a estruturação de Projetos de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) em pequenas propriedades e comunidades na Amazônia.

O guia, disponível em versão digital, tem como objetivo incentivar e facilitar o surgimento de projetos dessa natureza a partir de um passo-a-passo simplificado, que pode ser aplicado e ajustado para diferentes regiões amazônicas.

 >> Acesse aqui a nova publicação

 As etapas incluem cálculos das taxas de desmatamento, estruturação de cenários de referência e reconhecimento do papel dos pequenos agricultores em evitar a perda de cobertura florestal em suas propriedades, a partir de práticas produtivas sustentáveis.

Segundo Keyvan Macedo, gerente de Sustentabilidade da Natura, o guia foi aplicado no Projeto Reca, localizado na ponta do Abunã, em Rondônia, como um primeiro exercício de insetting florestal, dentro das diretrizes do Programa Natura Carbono Neutro da empresa.

“Ter uma estratégia de compensação aliada à cadeia de abastecimento de matérias-primas da Natura traz renda para os produtores, colabora para o aumento da resiliência da  cadeia e contribui para a conservação de áreas florestais, em um ciclo virtuoso com ganhos múltiplos”, explica Macedo.

Pedro Soares, gerente do Programa Mudanças Climáticas e REDD+ do Idesam e co-autor da publicação, destaca que o guia tem como premissa fundamental oferecer uma ferramenta crível, consistente, simplificada e de baixo custo de aplicação para empresas, produtores e comunidades.

“Empresas que apoiam projetos e comunidades locais necessitam de ferramentas práticas e transparentes para avaliar e contabilizar os impactos de seus projetos e atividades para o clima, biodiversidade e conservação das florestas”, explica.

Soares explica ainda que as metodologias e padrões de certificação atualmente disponíveis possuem alto custo de transação e regras pouco aplicáveis a projetos de micro e pequena escalas, que acabam por inviabilizar tais projetos.

Além de explicar os principais conceitos a serem utilizados para o desenho de projetos em pequenas propriedades e comunidades tradicionais, o guia mostra também todas as etapas e critérios metodológicos voltados para a contabilização e monitoramento dos benefícios gerados.

No processo de elaboração do documento, os autores realizaram uma ampla análise técnica e metodológica de padrões de certificação existentes. O processo contou também com um comitê de revisores formado por experts sobre o tema de pagamento por serviços ambientais de Carbono Florestal.[:en]By Lucas Moreno
Translated by Fernanda Barbosa and Felipe Sá

 

The communities and companies that contribute to the conservation of the Amazon forest and, consequently, to the reduction of Greenhouse Gases (GHG) emissions have just received a boost: Idesam and Natura launched a simplified methodological guide for structuring  Payments for Environmental Services (PSA, in Portuguese) in small properties and communities in the Amazon.

The guide, available in digital format, aims to encourage and facilitate the emergence of projects from a simplified step-by-step, which can be applied and adapted to different Amazon regions.

>> Click here to access the new publication (portuguese only)

The steps include estimating deforestation rates, elaborating  reference scenarios and recognizing the role of small farmers in preventing the loss of forest cover in their properties, using sustainable production practices.

According to Keyvan Macedo, Natura’s Sustainability manager, the guide was applied to the Reca Project, located at the tip of Abunã, in the state of Rondônia, as an inaugural forest insetting experience, within the guidelines of the company’s Natura Carbon Neutral Program.

“Having an offsetting strategy in alignment with Natura’s raw material supply chain generates income to producers, contributes to increasing the production chain resilience and also supports forest conservation , in a virtuous cycle with multiple gains”, Macedo explains.

Pedro Soares, Climate Change and REDD+ project manager at Idesam and co-author of the publication, highlights that the guide has as its fundamental premise to offer a credible, consistent, simplified and low-cost application tool for companies, producers and communities.

“Companies that support projects and local communities need practical and clear tools to evaluate and account the impacts of their projects and activities on climate, biodiversity and forest conservation”, he explains.

Soares also states that the methodologies and certification patterns that are available nowadays have high transaction costs and rules that are not appropriate to micro and small scale projects, invalidating these projects.

In addition to explaining the main concepts to be used when designing the project in small scale properties and traditional communities, the guide also shows all the steps and methodological criteria aimed at accounting and monitoring the generated benefits.

During the development process, the authors conducted a broad technical and methodological analysis of existing certification standards, and counted on the support from a committee of revisers  consisting of experts on payments for environmental and forest carbon services.[:]