PPA mapeia pequenos negócios sustentáveis na Amazônia

content image
PPA mapeia pequenos negócios sustentáveis na Amazônia

[:pt]Por Henrique Saunier
Colaborou Fernanda Barbosa
Imagem: Suframa

 

A Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), coordenada pelo Idesam, realizou um mapeamento de mais de 30 startups amazônicas em diferentes estágios de desenvolvimento. Os cases mapeados abrangem os setores de inovação tecnológica, agroindústria, educação, negócios florestais, piscicultura, turismo, entre outros, que futuramente poderão receber aporte de investidores-anjo.

Essa aproximação faz parte da estratégia do Comitê Gestor da PPA de fomentar o investimento anjo em startups na Amazônia, sendo uma das áreas de interesse prioritário da plataforma em 2018. Durante todo o ano, a PPA ampliará esse mapeamento, contando inclusive com uma chamada aberta no segundo semestre. O processo culminará numa rodada de prêmios e potenciais investimentos para alavancar o setor.

Os negócios identificados pela PPA têm a proposta de promover melhorias sociais e ambientais, como o acesso ao mercado e geração de renda, redução do desmatamento e inclusão social. Lançada no final de 2017, a PPA tem busca aliar lucratividade nos negócios ao desenvolvimento regional, além de fomentar o empreendedorismo das populações locais e conservar da biodiversidade na região Amazônica.

A plataforma é liderada pela iniciativa privada e conta com a coordenação executiva Idesam e apoio da USAID (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional) e do CIAT (Centro Internacional de Agricultura Tropical).

Para o pesquisador sênior do Idesam e coordenador da PPA, Mariano Cenamo, o empreendedorismo não é novidade na Amazônia, que já possui inúmeros casos de inovação e resiliência. “O diferencial da PPA é buscar engajar empresas que já atuam na Amazônia com a sustentabilidade ambiental, valorizando os ativos florestais amazônicos”, salienta.

Em sua última reunião, os conselheiros do Comitê Gestor da PPA debateram os avanços da plataforma desde seu lançamento. Foram acordados os procedimentos de governança e comunicação da PPA, elaboradas ações para promover o investimento em startups amazônicas, assim como para promover a incubação e aceleração de iniciativas inovadoras mais jovens.[:en]By Henrique Saunier
In collaboration with Fernanda Barbosa
Translated by Fernanda Barbosa and Felipe Sá
Photo: Suframa

 

The Amazon Partnership Platform (PPA, in Portuguese), coordinated by Idesam, mapped over 30 Amazon startups in different developmental stages. The mapped cases cover different sectors, such as technological innovation, agroindustry, education, forestry businesses, fish farming and tourism among others that, in the future, may receive contributions from angel investors.

This approach is part of PPA’s Steering Committee strategy to encourage angel investments in startups from the Amazon, being one of the platform’s priority interest-areas in 2018. Over the year, PPA will broaden this mapping, including an open call in the second semester. The process will culminate in a round of prizes and potential investments to boost the sector.

The businesses identified by the PPA contribute to social and environmental improvements, such as market access and income generation, deforestation reduction and social inclusion. Launched in late 2017, PPA seeks to combine business profitability with regional development, besides fostering entrepreneurship among local communities and conserving the Amazon biodiversity.

The platform is led by the private sector, and Idesam leads its Executive Coordination, together with USAID (United States Agency for International Development ) and CIAT (The International Center for Tropical Agriculture).

For senior researcher at Idesam and PPA’s coordinator, Mariano Cenamo, entrepreneurship is not new to the Amazon, where there are already countless innovation and resilience experiences. “PPA’s differential is seeking to engage companies that already operate in the Amazon with environmental sustainability, valuing Amazon forest assets”, he points out.

In its last meeting, Steering Committee members debated the platform’s progress since its launch. PPA’s governance and communication procedures were agreed upon and actions to promote the investment in Amazonian startups were elaborated, such as incubation of acceleration of recently identified initiatives.[:]