Segunda edição do “REDD+ nos estados da Amazônia” já esta disponível

Segunda edição do “REDD+ nos estados da Amazônia” já esta disponível

[:pt]14 de novembro de 2012

 

Em novembro, o IDESAM e o Ministério do Meio Ambiente lançam a segunda edição do relatório “REDD+ nos estados da Amazônia: Mapeamento de iniciativas e desafios para integração com a estratégia brasileira”. A publicação, lançada em junho durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável – Rio+20, traz um panorama do status atual das políticas e iniciativas relacionadas a mudanças climáticas e serviços ambientais na Amazônia.

 

Sete dos nove estados da Amazônia Brasileira foram analisados: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Tocantins. A escolha foi baseada no avanço na elaboração de políticas e regulamentações sobre REDD+ (Redução de Emissões do Desmatamento e Degradação Florestal), os investimentos em iniciativas voluntárias e os projetos financiados pelo Fundo Amazônia.

 

O estudo foi desenvolvido através de uma parceria entre o IDESAM e a Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente (SMCQ/MMA) e recebeu apoio financeiro da Embaixada do Reino Unido no Brasil.

 

De acordo com Mariana Pavan, pesquisadora do Idesam e uma das responsáveis pelo estudo, o relatório atual traz novas informações e análises mais aprofundadas sobre o mecanismo: “Os estados analisados destacaram a questão da falta de regulamentação a nível nacional como um dos principais entraves para o desenvolvimento de atividades de REDD+”, aponta.

 

A falta de regulamentação, como explica a pesquisadora, é o principal desafio na integração entre políticas nacionais e subnacionais de REDD+. Além de gerar uma insegurança jurídica prejudicial para investidores e financiadores interessados em apoiar projetos e iniciativas consistentes e promissoras, essa ausência é um incentivo ao desenvolvimento de metodologias inconsistentes.

 

A publicação busca subsidiar a discussão e construção da Estratégia Nacional de REDD+, que iniciou-se em agosto deste ano.

 

Clique aqui para visualizar o arquivo.

 

 

Compartilhe esta notícia
[:]