Aliança Guaraná de Maués encerra 2018 com participação ativa de agricultores e mais de 700 jovens alcançados

content image
Aliança Guaraná de Maués encerra 2018 com participação ativa de agricultores e mais de 700 jovens alcançados

[:pt]Para o ano que vem, uma das ações programadas é a distribuição de material didático regional na rede de ensino infantil do município

 

Texto: Henrique Saunier
Foto: Adriano Sarmento

 

O ano de 2018 foi um período de conquistas para todos os envolvidos na Aliança Guaraná de Maués (AGM), que conseguiu levar suas ações a quase 700 crianças e jovens do município, nas mais de 20 oficinas, intercâmbios culturais e atividades extracurriculares promovidas pela aliança e seus parceiros.

Sob a coordenação do Idesam — com apoio e financiamento da Ambev e USAID — praticamente todos os Grupos de Trabalho (GTs) alcançaram as metas propostas nas áreas de interesse da AGM, atualmente divididas em Educação, Produção Sociocultural, Turismo, Produção Sustentável, além da organização dos agricultores por meio de um Conselho de Produtores.

Um dos GTs de destaque foi o de Produção Sustentável, que ultrapassou a meta de produtores e jovens capacitados em seus cursos e oficinas, somando mais de 120 pessoas alcançadas em 2018. Segundo a coordenadora deste GT, a engenheira agrônoma Laís Bentes, o foco das ações foi promover intercâmbios entre agricultores, incentivando práticas sustentáveis de produção, com direito a oficinas de biofertilizantes, adubação orgânica e práticas para produzir em maior quantidade e qualidade.

Outro destaque das ações do GT de Produção Sustentável em 2018 foi a campanha de incentivo ao consumo de produtos regionais, que promoveu atividades na principal feira de Maués, com demonstrações de diferentes maneiras de se consumir um produto regional. “Levamos receitas com cará, maxixe, guaraná, manga e outras espécies facilmente encontradas na região e que com o tempo vem sendo substituídas por alimentos industrializados. Acredito que todas essas ações da primeira fase do GT de Produção Sustentável vão deixar um legado importante para Maués”, comemora Bentes.

A campanha citada por Laís envolve um calendário sazonal com diversos produtos comercializados na Feira do Produtor de Maués, para o consumidor sempre saber o mês exato de safra de cada alimento. Uma plataforma digital também será montada contendo os dados produtivos coletados na feira, plataforma desenvolvida em parceria com os alunos do Campus Maués do Instituto Federal do Amazonas (Ifam).

GT Sociocultural

Muito além dos números, o GT de Produção Sociocultural em 2018 conseguiu avançar no seu trabalho de resgate aos conhecimentos tradicionais de parteiras, artesãs e mestres do gambá, trazendo os jovens para perto dessas manifestações, que aos poucos estavam desaparecendo. Só neste ano, as ações do GT Sociocultural envolveram mais de oito intercâmbios culturais entre diferentes comunidades ribeirinhas e indígenas de Maués, deixando sua marca em mais de 100 crianças e adolescentes, incluindo capacitações e apresentações culturais.

Entre as ações mais recentes o GT turismo socioambiental realizou a primeira edição do Maués Eco Artes, que promoveu uma interação entre cultura, arte e meio ambiente, com direito a transplante de árvores, produção e exposição de grafitte, fotografias e arte indígena, música regional e uma Gincana Ecológica, com premiação que totalizou R$ 3 mil aos participantes.

“A gente quase não vê eventos desse tipo sendo realizados e a Aliança Guaraná de Maués veio fortalecer diversos âmbitos da sociedade local, principalmente na esfera da arte e da educação. A partir do momento que começaram as atividades da AGM, muitos artistas começaram a aparecer. Aqueceu mais a atividade cultural na cidade e Maués está sendo mais divulgada com essas ações”, ressalta Erick Dammon, um dos organizadores e artistas participantes do GT.

Outra ação do GT, é no fomento à três empreendimentos turísticos ribeirinhos e indígenas de Maués, com facilitação de melhorias na infraestrutura e nos materiais para receber visitantes. Além disso, a AGM trabalha na elaboração de roteiros turísticos comunitários e na valorização do guaraná enquanto identidade cultural e visual da cidade.

Educação em pauta

A educação sempre foi um dos pilares presentes na Construção da Aliança Guaraná de Maués, portanto, o GT que cuida do tema focou em pontos críticos do município, como a baixa escolaridade e formação dos professores da área rural, a falta de valorização cultural na construção da identidade local das crianças e o problema da ociosidade nas ruas, o que leva muitos jovens ao contato com drogas e violência.

Em 2018, a AGM mobilizou mais de 160 professores na elaboração de um material didático infantil com conteúdo regional, que será distribuído na rede de ensino em breve. Mais de 40 professores participaram das capacitações promovidas pela Aliança e seus parceiros locais, além de mais de 100 jovens e crianças que se envolveram nas atividades extracurriculares.

O estudante de agroecologia do IFAM-Maués e morador da Terra Indígena Andirá-Marau/Ilha Michiles, Agnaldo Guimarães de Almeida, 17 anos, ressalta que a agroecologia tem mudado a vida dos comunitários, evitando queimadas, entre outros benefícios. “Aprendemos a técnica de agrofloresta, que tem somado muito com a cara da nossa comunidade. Queremos que isso reflita na nossa vida e de outras comunidades, para que possamos fazer nossos plantios de forma sustentável. A Aliança Guaraná de Maués tem nos ajudado muito trazendo esses cursos especiais”, destaca Almeida, em depoimento ao participar de uma das capacitações promovidas pela AGM em parceria com o IFAM, em novembro deste ano.

Na avaliação do coordenador técnico da AGM, Eric Brosler, a aliança conseguiu alcançar melhorias claras em várias linhas de atuação. “Acredito que conseguimos promover uma maior compreensão sobre a cadeia do guaraná de Maués, com os seus gargalos e oportunidades. Um saldo positivo também foi todo conhecimento gerado e transparência nas ações entre as instituições e grupos parceiros”, destaca Brosler.

A Aliança Guaraná de Maués é composta por ribeirinhos, agricultores tradicionais, mestres da cultura, artesãos, professores, organizações filantrópicas, jovens e indígenas, contando ainda com o apoio das associações comunitárias e agricultores, Ambev, Usaid, IFAM, UEA (Universidade do Estado do Amazonas), Prefeitura de Maués, Cultuam, Mama Ekos, Embrapa, IDAM (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas), entre outros.[:en]For the coming year, one of the actions planned is the distribution of regional didactic material in the municipal education network

Text: Henrique Saunier
Photo: Adriano Sarmento
Translation: Felipe Sá

 

2018 was a year of achievements for all those involved in the Maués Guaraná Alliance (AGM), which managed to take its actions to 700 children and young people from the municipality, in more than 20 workshops, cultural exchanges and extracurricular activities promoted by the alliance and their partners.

Under the coordination of Idesam – with support and funding from Ambev and USAID – practically all Working Groups (WGs) reached the goals proposed in the AGM’s areas of interest, currently divided into Education, Sociocultural Production, Tourism, Sustainable Production, besides the organization of farmers through a Producers’ Council.

One of the most important WGs was Sustainable Production, which surpassed the goal of producers and young people trained in their courses and workshops, adding up to 120 people reached in 2018. According to the coordinator of this WG, the agronomist Laís Bentes, the focus of the actions was to promote exchanges between farmers, encouraging sustainable production practices, with workshops on biofertilizers, organic fertilization and practices to produce in greater quantity and quality.

Another highlight of the actions of the Sustainable Production WG in 2018 was the campaign to encourage the consumption of regional products, which promoted activities at the main fair of Maués, with demonstrations of different ways to consume a regional product. “We took recipes with cará, maxixe, guaraná, mango and other species easily found in the region and that over time have been replaced by processed foods. I believe that all these actions of the first phase of the Sustainable Production WG will leave an important legacy for Maués”, celebrates Bentes.

The campaign quoted by Laís involves a seasonal calendar with several products sold at the Maués Producer’s Fair, so that consumers always know the exact month of harvest of each food. A digital platform will also be set up containing the productive data collected at the fair. This platform will be developed in partnership with the students of the Maués Campus of the Federal Institute of Amazonas (Ifam).

Sociocultural WG

Far beyond the numbers, the Sociocultural Production WG in 2018 was able to advance in its work to rescue the traditional knowledge of midwives, artisans and gambá masters, bringing youth closer to these manifestations, which were gradually disappearing. This year alone, the activities of the Sociocultural WG involved more than eight cultural exchanges between different riverside and indigenous communities of Maués, leaving their mark on more than 100 children and adolescents, including training and cultural presentations.

Among the most recent actions, the Socioenvironmental Tourism WG carried out the first edition of “Maués Eco Artes”, which promoted an interaction between culture, art and the environment, and also included trees transplants, grafitte production and exhibition, indigenous art and photographs, regional music and an Ecological Games, with awards that totaled R$3,000 to the participants.

“We hardly see events of this kind being held and the Maués Guaraná Alliance has strengthened various spheres of local society, especially in the art and education ones. From the moment AGM’s activities began, many artists began to show up. It has further boosted cultural activity in the city and Maués is being more promoted with these actions”, says Erick Dammon, one of the WG’s organizers and artists.

Another action of the WG is the promotion of three Maués riverside and indigenous tourism enterprises, by improving the infrastructure and materials to receive visitors. In addition, the AGM works in the elaboration of tourist guides and in the valorization of guaraná as cultural and visual identity of the city.

Education in the spotlight

Education has always been one of the pillars in the construction of the Maués Guaraná Alliance, so the WG that handles the subject focused on critical points in the municipality, such as low education and training of teachers in rural areas, lack of cultural appreciation in the local identity construction of children and the problem of idleness in the streets, which leads many young people to have contact with drugs and violence.

In 2018, the AGM mobilized more than 160 teachers in the elaboration of a didactic material for children with regional content that will soon be distributed in the education network. More than 40 teachers participated in the trainings promoted by the Alliance and its local partners, in addition to over 100 young people and children who became involved in extracurricular activities.

The agroecology student at IFAM-Maués and a resident of the Indigenous Territory Andirá-Marau/Michiles Isle , Agnaldo Guimarães de Almeida, 17, points out that agroecology has changed the lives of community members, avoiding burnings, among other benefits. “We learned the agroforestry technique, which has added a lot to our community. We want this to be reflected in our lives and in other communities so that we can make our plantings in a sustainable way. The Maués Guaraná Alliance has helped us a lot by bringing these special courses”, says Almeida during one of the capacitations promoted by AGM in partnership with IFAM in November 2018.

In the evaluation of the AGM technical coordinator, Eric Brosler, the alliance was able to achieve clear improvements in several lines of action. “I believe we have been able to promote a greater understanding of Maués’s guaraná chain, with its bottlenecks and opportunities. A positive balance was also all the generated knowledge and transparency in the actions between the institutions and partner groups”, emphasizes Brosler.

The Maués Guaraná Alliance is composed of riverside people, traditional farmers, masters of culture, artisans, teachers, philanthropic organizations, youth and indigenous people, with the support of community associations and farmers, Ambev, USAID, IFAM, UEA (University of the State of Amazonas), Maués City Hall, Cultuam, Mama Ekos, Embrapa, IDAM (Institute of Agricultural Development and Sustainable Forestry of the State of Amazonas), among others.[:]