AmazonPec é destaque em estudo nacional sobre investimentos para agricultura sustentável

pecuaria-semiintensiva-viabilidade-economica

Projeto do Idesam desenvolvido em Apuí (AM) foi um dos selecionados de uma lista de 50 iniciativas

 

Por Henrique Saunier

 

O Idesam foi um dos destaques em um evento voltado a Investimentos de Impacto em Agricultura Climate-Smart no Brasil, realizado no final de julho, em São Paulo. No encontro, organizado pela Alimi Impact Ventures, foram apresentados resultados de um mapeamento desse mercado no Brasil, com experiências de quem efetivamente tem sido ativo no tema. O Idesam participou do evento e do estudo com a iniciativa AmazonPec, case inovador de produção sustentável na Amazônia.

O AmazonPec é um projeto desenvolvido para ofertar financiamento, insumos e assistência técnica para pequenos produtores nos municípios de Apuí, Novo Aripuanã e Manicoré, região sul do Estado do Amazonas. O objetivo principal é recuperar pastagens degradadas e promover a conservação de florestas através da implantação de sistemas de pecuária silvipastoril (que integram lavoura, pecuária e floresta) altamente produtivos.  O Idesam está em busca de investidores para aumentar a escala do projeto.

A fase piloto do projeto contou com apoio da Porticus Foundation e do Fundo Vale, e os empréstimos são concedidos na forma de produtos e serviços para os produtores de gado, que precisam se comprometer zerando o desmatamento na sua área de atuação. Para fazer parte do AmazonPec, os produtores também precisam possuir o título definitivo das terras, o Cadastro Ambiental Rural (CAR), restaurar áreas degradadas por meio do sistema silvipastoril e não possuir nenhuma pendência anterior com empréstimos.

Nos próximos anos o Idesam espera que até 300 propriedades rurais sejam convertidas aos sistemas silvipastoris, gerando uma média de 500 empregos na atividade, sem contar a conservação de mais de 50 mil hectares de floresta nativa.

“O sistema silvopastoril integra animais, plantas forrageiras e árvores na mesma área. A intensificação da produção em espaços menores evita a abertura de novas áreas de floresta nativa e permite a restauração de áreas degradadas gerando benefícios sociais, ambientais e financeiros para os produtores”, explica Mariano Cenamo, pesquisador sênior do Idesam e responsável por apresentar o case do AmazonPec.

Graças aos resultados alcançados até o momento, o Idesam ganhou destaque na série de estudos de caso de agricultura Climate-Smart, ao lado de outras importantes iniciativas, como a da Associação de Produtores Orgânicos do Mato Grosso do Sul, da empresa Floresta Viva e do Instituto Estrela.

Posts relacionados

Deixe um comentário