(Português do Brasil) Parceria entre pesquisadores e gestores de UCs é destaque em encontro sobre visitação em áreas protegidas

IV ECPVAP-

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Encontro aconteceu em Manaus, reunindo universidades brasileiras e norte-americanas

 

Texto: Comunicação Idesam
Foto: Divulgação/Curso de Turismo UEA

 

Realizado em Manaus no ano passado, o 4° Encontro da Comunidade de Prática de Visitação em Áreas Protegidas lançou recentemente um relatório com os principais temas debatidos no evento, que teve por objetivo fortalecer a colaboração entre pesquisadores e gestores de Unidades de Conservação (UCs) para o desenvolvimento de pesquisas sobre a visitação nestas localidades. O Idesam participou dos painéis de discussão, compartilhando com os participantes sua experiência na atuação junto a UCs.

Na programação do encontro de 2018, além do planejamento das atividades da Comunidade de Prática e discussão sobre futuras parcerias e colaborações, os palestrantes apresentaram suas experiências na aplicação dos resultados de pesquisa no manejo do uso público em UCs e promoveram uma oficina para a construção de um instrumento de pesquisa para o levantamento do perfil e do gasto médio dos visitantes dessas unidades.

O diretor técnico do Idesam, Carlos Koury, abordou o tema “Turismo em UCs de Uso Sustentável”, com foco no trabalho desenvolvido pelo instituto na RDS do Uatumã. Koury destacou o Plano de Gestão da reserva, que dá protagonismo ao turismo e a pesca esportiva e que trata do zoneamento aquático por meio do empoderamento e participação comunitária.

O representante do Idesam também apresentou as características do ambiente, o zoneamento da área e o Plano de Uso Público da unidade. Para se ter uma ideia da dinâmica do turismo comunitário na região, em 2016, a associação de comunitários da RDS obteve R$20 mil de receita de taxa de entrada. Com oito pousadas familiares na UC, o turismo se destaca principalmente por atividades como soltura de quelônios, o Programa Carbono Neutro Idesam, Torre ATTO e visitas acadêmica.

“O uso público deve ser lembrado desde o planejamento até o monitoramento das UCs. As comunidades conseguem enfrentar as questões do dia a dia a partir do empoderamento, sendo assim, elas se sentem incluídas. É muito importante estabelecer elementos de gestão que promovam e ordenem o turismo; e que as pesquisas fora da região possam identificar público e meios de trazer turistas para a Amazônia”, ressalta Koury.

O 4° Encontro da Comunidade de Prática de Visitação em Áreas Protegidas aconteceu em maio de 2018, em Manaus, com visitas técnicas e participação de professores, pesquisadores e estudantes de nove universidades brasileiras (UEA, UFAM, UEPG, UnB, UNIRio, UFRJ, UFJF, UFRRJ, ESALQ/USP), três universidades americanas (Colorado, Montana e Carolina do Norte), gestores de Unidades de Conservação do Amazonas, Acre e Rio de Janeiro (ICMBio), e comunitários de áreas protegidas do Estado. Para saber mais sobre o conceito de Comunidade de Prática e o que mais foi discutido nos painéis, acesse a memória completa do evento na nossa biblioteca.

 

 

Related Posts

Leave a comment