DOE AGORA

Nova diretoria do Idesam foca em Teoria da Mudança

Nova diretoria do Idesam foca em Teoria da Mudança

André Vianna, até então gerente do Programa Manejo e Tecnologias Florestais, assume a diretoria técnica do Instituto pautado pelas novas propostas de atuação para os próximos anos.

 

Da assessoria

 

Inspirados pela nova Teoria da Mudança do Idesam, o Instituto começou o ano de 2022 com mudanças também em sua diretoria. O engenheiro florestal André Vianna, até então responsável pelo programa Manejo e Tecnologias Florestais, assume, a partir deste mês, a diretoria técnica do Idesam, vaga ocupada até então pelo também engenheiro florestal Carlos Gabriel Koury.

Mestre em Ciências de Florestas Tropicais pelo INPA (2011) e graduado em Engenharia Florestal pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – ESALQ/USP (2008), Vianna atua como gerente do Programa de Manejo e Tecnologias Florestais do Idesam desde a sua criação em 2018. Ao longo desse período, foi responsável pela execução do Projeto Cidades Florestais, que investiu mais de R$ 10 milhões em cadeias de valor de óleos vegetais e madeira de 11 municípios do interior do Amazonas, apoiando 16 organizações sociais no fortalecimento das cadeias de valor de produtos amazônicos. Como destaques foram entregues duas novas miniusinas de óleos vegetais e licenciados 6 mil hectares de florestas para manejo florestal comunitário.

“O crescimento do Idesam e de suas áreas de atuação exige constantes melhorias na estrutura organizacional. Acreditamos que essa nova configuração pode gerar maior integração nas ações, contribuindo com a nossa proposta de impacto”, afirma a diretora executiva, Paola Bleicker.

Para Vianna, essa nova etapa será focada principalmente na proposta de Teoria da Mudança do Idesam.

 

“Desde agosto do ano passado, fizemos uma série de reuniões para discutir o contexto e as perspectivas para a Amazônia e como o Idesam deverá contribuir ao longo dos próximos cinco anos. É esse o foco do nosso trabalho daqui pra frente”

– André Vianna, diretor técnico do Idesam

 

A nova edição da  Teoria da Mudança do Idesam, construída ao longo do segundo semestre de 2021, está em fase final de formatação e será divulgada publicamente no início de 2022, juntamente com o novo organograma, no site do instituto.

 

Fortalecimento da Bioeconomia

Com a mudança, Carlos Gabriel Koury, até então responsável pelo cargo de diretor técnico, assume a função de diretor de Inovação & Bioeconomia, com foco em iniciativas de fomento a novos negócios  que também englobarão o Programa Prioritário de Bioeconomia (PPBio), do qual é responsável desde 2018, quando o Idesam foi selecionado pelo Comitê das Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento na Amazônia para gerir recursos oriundos de empresas do Polo Industrial.

“A mudança é uma evolução da atuação do Idesam, ao ver que temos mais a contribuir com o desenvolvimento de novas soluções para a promoção da Bioeconomia. Assim estamos iniciando uma nova agenda de preparação de novos negócios que incluam conhecimento, novas tecnologias com impacto social e ambiental positivo para a Amazônia”, explica Koury.

Para esse ano, o PPBio estima investir mais de R$ 20 milhões em projetos e negócios de bioeconomia. Uma das linhas de investimento busca apoiar soluções para superar os gargalos produtivos nas cadeias da castanha-do-brasil e dos óleos vegetais, através das chamadas Elos da Amazônia que estão abertas até o dia 10 de fevereiro.

 

 

WordPress Lightbox Plugin