Programa Carbono Neutro inicia implantação do 3º SAF na Reserva do Uatumã

Programa Carbono Neutro inicia implantação do 3º SAF na Reserva do Uatumã

27 de julho de 2012

 

Em julho, o Programa Carbono Neutro deu início a um novo ciclo de atividades na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã, que resultará na implantação do terceiro Sistema Agroflorestal (SAF) na RDS e na manutenção dos primeiros SAFs, plantados entre os anos de 2010 e 2011. Localizado na comunidade Nova Jerusalém do Amaro, o novo SAF abrangerá uma área de aproximadamente 2.500 m² e cerca de 140 árvores nativas da Amazônia, como castanheiras e andirobeiras, e compensará as emissões institucionais do IDESAM previstas para 2012. A área poderá aumentar conforme outras compensações precisem ser feitas ao longo deste segundo semestre.

 

SAFs são florestas produtivas que aliam a produção sustentável e a conservação da floresta, além de possibilitar o sequestro dos gases de efeito estufa que são emitidos pelas ações antrópicas, destaca Eduardo Rizzo, coordenador do Programa de Unidades de Conservação do IDESAM. O plantio acontecerá nos últimos meses do ano, quando se intensificam as chuvas na região, mas os pesquisadores já começaram um trabalho preliminar junto ao produtor. O objetivo é planejar participativamente quais espécies agrícolas e florestais irão compor o sistema, visando compensar as emissões de GEEs (Gases de Efeito Estufa) ao mesmo tempo em que geram bem estar para o produtor e sua família.

 

SAF_Uatuma_menor

 

 

De acordo com Eduardo Rizzo, a reserva carece de assistência técnica nas áreas ambiental, florestal e de agronomia: “A equipe vai dar esse apoio aos produtores, ensinar a como se produz mudas e como relacionar as espécies garantindo o máximo de aproveitamento entre elas “, destaca.

 

Inicialmente, as mudas utilizadas nos reflorestamentos do PCN eram doadas pelo Idam ou adquiridas através de compra de viveiros particulares. Isso começou a mudar com a implantação de um pequeno viveiro na casa do agricultor José Monteiro, na Comunidade Nossa Senhora do Livramento. Nosso objetivo é estruturar viveiros de mudas junto a vários produtores e, dessa forma, aumentar a geração de renda para os comunitários da reserva.

 

“Conforme o Programa Carbono Neutro cresce, a gente ter uma demanda cada vez maior de mudas e poderemos comprar parte dessa produção; eles também poderão vender essas mudas pra outros clientes, plantar no próprio terreno, etc.” destacou Rizzo.

 

A equipe de agroecologia do Idesam também realizará uma atividade junto ao Núcleo de Conservação e Sustentabilidade do Uatumã. Os pesquisadores irão trabalhar na estruturação da horta comunitária do núcleo e apoiará atividades de produção de mudas junto aos alunos.

 

Outra meta desse trabalho é promover a educação ambiental entre os alunos do núcleo. Disseminando os conhecimentos técnicos necessários, eles poderão dar continuidade às atividades depois que a equipe do IDESAM voltar para Manaus. “Queremos que eles sejam multiplicadores, estamos levando esse conhecimento para que, mais tarde, eles repassem aos parentes, vizinhos, amigos”, explica o engenheiro agrônomo Ramom Morato, pesquisador do IDESAM que coordena a expedição.

 

Além de Morato, integram a equipe os pesquisadores associados Eric Brosler (engenheiro florestal), Luis Felipe Almeida (engenheiro agrônomo) e Paulo Lattari (gestor ambiental), e a estudante Denise Mondini (agronomia). “Eu vejo [o Programa Carbono Neutro] como uma proposta inovadora no sentido de capacitar as comunidades para a produção de mudas e, ao mesmo tempo, ajudar a formar um mercado pra essas mudas. Minha expectativa para a atividade é aprender mais sobre isso”, destaca Lattari.

 

 

Compartilhe esta notícia