Turismo Comunitário na Reserva do Uatumã

Turismo Comunitário na Reserva do Uatumã

[:pt]

No dia 14 de junho, alguns colaboradores do Idesam visitaram a RDS (Reserva de Dezenvolvimento Sustentável) do Uatumã com um objetivo diferente do usual: não se tratava de um atividade de campo mas sim de uma atividade turística “experimental”, promovida na comunidade São Francisco das Chagas do Caribi (indicada no mapa) pelos próprios moradores da reserva.C_TFIN52_64


Com a atividade, os moradores buscavam fazer uma prévia do que pode vir a ser desenvolvido na reserva quando o assunto é turismo sustentável. E como o Idesam desenvolveu o Plano de Uso Público da Reserva, fomos convidados pelos moradores a fazer parte dessa experiência. Então vamos lá…

 

 
Saímos de Manaus no fim de tarde da sexta-feira (13). Para chegar a Itapiranga – que não tem aeroporto – é preciso enfrentar 355 km de estrada. Chegamos à sede do município por volta das 22h; pouco depois disso, o barco que esperava pelos “visitantes” partiu rumo ao coração da reserva. No barco, enfrentaríamos mais algumas horas de viagem, mas devidamente equipados com nossas redes, pudemos descansar durante grande parte do trajeto.
 
 
O café da manhã foi organizado por um casal de velhos conhecidos e grandes parceiros do Idesam na RDS: o agricultor José Monteiro, mais conhecido como “Papa”, e sua esposa, Dona Iraci Cleide, atual presidente da Associação das Comunidades da reserva.  Também foi o casal que organizou o almoço, que teve desde pratos regionais conhecidos, como o pato no tucupi, até receitas não muito comuns, como um delicioso sashimi de tucunaré!

 


Durante o resto do dia foram realizadas algumas atividades esportivas e de recreação voltadas não só para os visitantes, mas também para os próprios comunitários, como campeonato de dominó, campeonato de pênaltis, entre outras. A chuva atrapalhou um pouco e só deu trégua no fim da tarde, quando conseguimos ainda percorrer uma pequena trilha de acesso ao Núcleo de Conservação e Sustentabilidade da Reserva.
 
Por ter sido uma atividade experimental, alguns pontos ainda precisam ser ajustados, mas foi possível perceber que, com uma melhor estruturação e o apoio necessário – seja ele público ou privado –, é possível desenvolver o turismo na RDS, gerando uma eficiente alternativa de renda para as populações locais. Confira mais fotos da atividade na galeria do Flickr.

070-462

Equipe do Idesam e alguns convidados; a comunitária Iracy Cleide (camisa estampada ao centro); o comunitário José Monteiro (camisa verde ao centro); o gestor da RDS Uatumã, Rafael Gonçalves (camisa amarela); e o gestor do Núcleo de Conservação e Sustentabilidade do Uatumã, Vanilson Araújo (no canto direito).

 

[:en]

No dia 14 de junho, alguns colaboradores do Idesam visitaram a RDS (Reserva de Dezenvolvimento Sustentável) do Uatumã com um objetivo diferente do usual: não se tratava de um atividade de campo mas sim de uma atividade turística “experimental”, promovida na comunidade São Francisco das Chagas do Caribi (indicada no mapa) pelos próprios moradores da reserva.

Com a atividade, os moradores buscavam fazer uma prévia do que pode vir a ser desenvolvido na reserva quando o assunto é turismo sustentável. E como o Idesam desenvolveu o Plano de Uso Público da Reserva, fomos convidados pelos moradores a fazer parte dessa experiência. Então vamos lá…

 

Saímos de Manaus no fim de tarde da sexta-feira (13). Para chegar a Itapiranga – que não tem aeroporto – é preciso enfrentar 355 km de estrada. Chegamos à sede do município por volta das 22h; pouco depois disso, o barco que esperava pelos “visitantes” partiu rumo ao coração da reserva. No barco, enfrentaríamos mais algumas horas de viagem, mas devidamente equipados com nossas redes, pudemos descansar durante grande parte do trajeto.
O café da manhã foi organizado por um casal de velhos conhecidos e grandes parceiros do Idesam na RDS: o agricultor José Monteiro, mais conhecido como “Papa”, e sua esposa, Dona Iraci Cleide, atual presidente da Associação das Comunidades da reserva.  Também foi o casal que organizou o almoço, que teve desde pratos regionais conhecidos, como o pato no tucupi, até receitas não muito comuns, como um delicioso sashimi de tucunaré!

 

 

Durante o resto do dia foram realizadas algumas atividades esportivas e de recreação voltadas não só para os visitantes, mas também para os próprios comunitários, como campeonato de dominó, campeonato de pênaltis, entre outras. A chuva atrapalhou um pouco e só deu trégua no fim da tarde, quando conseguimos ainda percorrer uma pequena trilha de acesso ao Núcleo de Conservação e Sustentabilidade da Reserva.
Por ter sido uma atividade experimental, alguns pontos ainda precisam ser ajustados, mas foi possível perceber que, com uma melhor estruturação e o apoio necessário – seja ele público ou privado –, é possível desenvolver o turismo na RDS, gerando uma eficiente alternativa de renda para as populações locais. Confira mais fotos da atividade na galeria do Flickr.

Equipe do Idesam e alguns convidados; a comunitária Iracy Cleide (camisa estampada ao centro); o comunitário José Monteiro (camisa verde ao centro); o gestor da RDS Uatumã, Rafael Gonçalves (camisa amarela); e o gestor do Núcleo de Conservação e Sustentabilidade do Uatumã, Vanilson Araújo (no canto direito).

 

[:]