Amazon PEC: Promovendo a Pecuária Sustentável

Incentivar a recuperação de áreas degradadas por pastagens improdutivas e o plantio de árvores, numa lógica de produção que integra lavoura, pecuária e floresta, é o objetivo principal do Amazon PEC, programa desenvolvido pelo Idesam no município de Apuí (AM). Atualmente em fase de atração de investimentos, a iniciativa busca escalonar a oferta de assistência técnica e crédito rural aos produtores que se comprometam a conter o desmatamento no município. A ideia é que pelo menos 120 produtores adotem esse modelo.

O Amazon PEC promove o sistema de Pastejo rotacionado, que existe há mais de 20 anos, mas ainda com poucas experiências na Amazônia. O sistema promove ganhos de produtividade de aproximadamente 300%, aumentando de 0,75 para 2.5 unidades de animais por hectare, quando implementado. Nessa metodologia também é possível o aumento de produção sem expansão de terra, permitindo assim a redução do desmatamento.

 
Em sua fase piloto, o projeto conta com capital da Porticus Foundation e do Fundo Vale, com os empréstimos concedidos na forma de produtos e serviços para os produtores de gado, que precisam se comprometer zerando o desmatamento na sua área de atuação. Para fazer parte do Amazon PEC, os produtores também precisam possuir o título definitivo das terras, o Cadastro Ambiental Rural (CAR), restaurar áreas degradadas por meio do sistema silvipastoril e não possuir nenhuma pendência anterior com empréstimos.

Para os próximos dez anos, o Idesam espera que 300 fazendas sejam convertidas aos sistemas silvipastoris, evitando que cerca de 1,6 milhão de toneladas de carbono sejam emitidos no meio ambiente. Com o Amazon PEC, também é esperado um aumento de produtividade da Pecuária no Sul do Amazonas, além de evitar o desmatamento e promover agricultura de baixo carbono adaptada às mudanças climáticas.

O projeto virou tema de estudo realizado pela Alimi Impact Ventures, que reuniu cases bem sucedidos da Agricultura Cimate-Smart e seus principais impactos. O Amazon PEC se destacou pelos seus benefícios esperados, como a criação de aproximadamente 500 empregos (com a aplicação de sistema silvipastoril), além da conservação de 50 mil hectares de floresta nativa situada às margens de zonas de desmatamento.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário