DOE AGORA

Nota de repúdio: despejo de agrotóxicos em propriedades rurais de Apuí

Nota de repúdio: despejo de agrotóxicos em propriedades rurais de Apuí

Idesam

 

Sobre ocorrência registrada no último dia 8 de fevereiro, no município de Apuí, em que um avião – de propriedade não identificada – despejou agrotóxicos em  propriedades próximas de dois produtores orgânicos de café, o Idesam manifesta seu total repúdio. A prática representa um alto risco à saúde e à qualidade de vida de produtores familiares orgânicos locais.

A pulverização aérea atingiu áreas de dois produtores do projeto Café em Agrofloresta, localizadas nos Setores Coruja e Raulino, do Projeto de Assentamento Rio Juma. Ambos prestaram queixa junto à delegacia local, e receberam a visita e coleta de amostras das polícias Militar, Federal e Militar Ambiental, para a caracterização do incidente como crime ambiental. 

Ao longo das duas semanas posteriores ao ocorrido, foi possível perceber a morte de diversas plantas frutíferas e agrícolas, em idade produtiva, acarretando em prejuízo financeiro e colocando em risco todo o esforço empreendido pelos produtores ao longo dos últimos 8 anos para a obtenção do selo orgânico. Os produtores também notaram a ausência de aves, borboletas e abelhas na região. A presença de polinizadores e predadores para o controle de pragas de forma natural é fundamental para o sistema de produção orgânica, uma vez que propicia o equilíbrio do sistema produtivo. Reforçamos também que, ainda que o incidente tenha sido causado por agente externo aos projetos locais, o Idesam – em razão de seu forte vínculo com o município e os produtores prejudicados – prestará todo o apoio possível a fim de mitigar os estragos causados. Serão oferecidos, nesse intuito, apoio psicológico e jurídico aos produtores.

Também foram coletadas amostras de café do local, que serão analisadas em laboratório para verificar se o ocorrido afetou a integridade e qualidade dos grãos. Caso seja constatado qualquer tipo de contaminação, o Idesam seguirá todos os procedimentos adequados para a manutenção tanto da qualidade e certificação do Café Apuí, quanto da garantia da segurança econômica dos produtores afetados, prevalecendo, nesse sentido, as orientações dos órgãos e coletivos certificadores que atuam com o Café Apuí.

Reiteramos nosso repúdio a esse tipo de ação e reforçamos nossa confiança nas autoridades  em apurar os fatos e punir os responsáveis de maneira exemplar, para que isso não volte a acontecer, resguardando os produtores e famílias da região e contribuindo para guiar o município na promoção de um desenvolvimento justo e sustentável.

WordPress Lightbox Plugin