(Português do Brasil) Idesam leva experiência com Sistemas Agroflorestais a Simpósio no Rio Grande do Norte

Plantio de muda

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Por Henrique Saunier

O evento acontece em junho e vai contar com os resultados do Programa Carbono Neutro

Os resultados alcançados pelo Programa Carbono Neutro (PCN) Idesam na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã serão apresentados no 10° Simpósio de Pós-graduação em Ciências Florestais da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte), que acontece no mês de junho. Em resumos produzidos especialmente para o evento, os técnicos do Idesam irão mostrar aos participantes a experiência com o Sistema Agroflorestal (SAF) no plantio de mudas em compensação às emissões de gases de efeito estufa.

Os resumos analisam a taxa de sobrevivência dos componentes arbóreos que estão inseridos nos SAFs instalados na RDS do Uatumã. Como resultado, os técnicos obtiveram uma taxa de sobrevivência que variou entre 30% e 84%, com uma média de 61%. As taxas de mortalidade mais elevadas podem estar associadas a fatores ocasionados pela menor intensidade de manejo, o que o estudo liga à própria cultura local, de cunho essencialmente extrativista.

Com um total de 7,3 mil plantas manejadas, foram analisados 16 Sistemas Agroflorestais, nos quais cinco destes apresentaram taxas de sobrevivência entre 84% e 71%, enquanto seis permaneceram entre 63% e 51% e outros quatro SAFs oscilaram entre 43% e 30%. O resumo justifica que, nos meses anteriores, a região sofreu as consequências de um verão forte, o que favoreceu a mortalidade das mudas.

O Idesam defende os Sistemas Agroflorestais como uma alternativa ao processo tradicional de cultivo, que geralmente utiliza de técnicas de queima e derrubada. Além disso, por causa da diversidade de espécies utilizadas, da grande alocação de biomassa e da presença de componentes arbóreos, que adubam o solo naturalmente, os SAFs são considerados promissores no processo de redução da degradação dessas áreas.

Os artigos foram elaborados pela acadêmica de engenharia florestal, Lilian Cândida, que atuou no programa no final de 2017, e pelo coordenador de agroecologia do Idesam, Ramom Morato, em parceria com o técnico agrícola do PCN, Jefferson Araújo. O Simpósio acontece em Natal, entre 13 e 15 de junho, sendo um importante fórum de discussão sobre as diversas linhas de pesquisa nas áreas de recursos e engenharia florestais. O objetivo geral do simpósio é criar a oportunidade para a atualização e a troca de experiências entre estudantes, professores, pesquisadores e profissionais das diversas regiões do Brasil.

Sobre o PCN

O Programa Carbono Neutro (PCN) é desenvolvido atualmente dentro da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã, em áreas anteriormente degradadas. O programa é realizado em parceria com os moradores das comunidades ribeirinhas visando a implementação de Sistemas Agroflorestais que sequestrem o carbono da atmosfera, gerem renda, diversificação da produção e aumento da segurança alimentar.

Nesta atividade o instituto fornece o subsídio, conhecimento e a assistência técnica, mas os produtores devem demonstrar a pretensão de realizar a manutenção necessária aos plantios.

De acordo com Ramom Morato, para um maior sucesso do programa é importante que os beneficiários se sintam parte de um grupo, que voltem a trabalhar em mutirões e que a Reserva possa ser uma referência em agroecologia e práticas sustentáveis, o que, segundo ele, tem acontecido.

“Em cada área e com cada família beneficiada é iniciado um diálogo sob a ótica da agroecologia e de métodos alternativos à queima para o preparo da área, criação de fertilidade e diversificação da produção para a soberania alimentar. Outro ponto importante é promover intercâmbios entre investidores e beneficiários, inserindo os moradores da RDS do Uatumã em um contexto de turismo sustentável de base comunitária”, ressalta Morato.

 

Related Posts

Leave a comment