Plano de Gestão da RDS Rio Negro é apresentado a comunitários

oficina-plano-gestao-rdsrn

Por Priscila Rabassa
Edição de Samuel Simões Neto

Entre os meses de julho e agosto, o Idesam, em parceria com o Departamento de Mudanças Climáticas e Gestão de Unidades de Conservação de Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Demuc/Sema) e a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), está realizando diversas oficinas nas comunidades da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro, a fim de apresentar aos comunitários e lideranças a versão atual do Plano de Gestão da reserva.

O documento – que contém a caracterização da Unidade de Conservação (UC), seu zoneamento, regras e projetos – foi elaborado a partir do levantamento de informações com instituições públicas, ONGs, publicações e também durante oficinas e entrevistas promovidas pela equipe técnica do Idesam nas comunidades, e que contou com a participação ativa dos moradores em todas as reuniões.

“Uma das principais preocupações foi construir o plano de forma participativa com os comunitários, pois é esse documento que vai nortear os processos de gestão de onde eles vivem. É importante ter cuidado com o meio ambiente e com o bem-estar dos moradores”, declara a bióloga Fernanda Freda, coordenadora de projetos do Idesam.

O plano de gestão tem dois volumes: o primeiro demonstra o diagnóstico ambiental e socioeconômico da unidade, além de detalhar a situação fundiária e aspectos culturais. O segundo volume contém o planejamento participativo de gestão da UC com o zoneamento, regras de uso e ocupação, e os programas de gestão elaborados com base nas informações do volume I e com a participação ativa do Conselho Gestor e moradores da reserva.

Para Pablo Pacheco, chefe da UC e representante da secretaria de Meio Ambiente, a expectativa é que o plano de gestão traga avanços sobre o uso responsável dos recursos naturais.

“Foi importante promover a participação social para que os moradores, ao se identificarem com o território, comecem a fazer o bom uso dos recursos, através de práticas mais sustentáveis. Daqui para frente, o plano de gestão aprovado será o guia deles”, afirma.

A primeira etapa das oficinas aconteceu entre os dias 18 e 22 de julho em nove comunidades do polo III da reserva. Ainda durante o mês de agosto, o documento será apresentado aos moradores dos polos I e II, contemplando mais dez comunidades. Após essa etapa, será enviado para consulta pública e, daí, para aprovação do Conselho Deliberativo da RDS e da Sema, o que deve ocorrer até outubro de 2016.

RDS Rio Negro – A Reserva de Desenvolvimento Sustentável Rio Negro, localizada no baixo Rio Negro, Amazonas, é uma unidade de conservação da catgeoria ‘uso sustentável’. São 19 comunidades ribeirinhas e cerca de 900 famílias que possuem como principais atividades a agricultura, o manejo florestal madeireiro e a pesca.

Situada entre os municípios de Manacapuru, Iranduba e Novo Airão, em uma área de 103.086 hectares, a RDS do Rio Negro foi criada em dezembro de 2008, a partir do desmembramento da APA (Área de Proteção Ambiental) da margem direita do Rio Negro setor Paduari/Solimões.

Posts relacionados

Deixe um comentário