Estados do GCF apresentam iniciativas sobre produção com desmatamento zero

content image
Estados do GCF apresentam iniciativas sobre produção com desmatamento zero

[:pt]Por Fernanda Barbosa e Felipe Sá
Com informações da Tropical Forest Alliance 2020 e agência de comunicação da Secretaria de Meio Ambiente do Mato Grosso

 

A Reunião Regional 2018 da América Latina da TFA 2020 aconteceu em São Paulo durante os dias 12 e 13 de março. O evento voltou-se à discussão da agenda de zero-desmatamento em torno da produção de commodities, além de catalisar novas parcerias e iniciativas, reunindo grandes empresas, bancos, investidores, agências de desenvolvimento e governos, como Colômbia, Peru e São Paulo, contando também com a presença dos membros do GCF, Mato Grosso e Pará. Os participantes destacaram que eventos como esse são importantes para evidenciar que diferentes atores estão engajados em atingir uma produção que não provoque desmatamento, enfatizando que riscos e responsabilidades são compartilhados entre eles.

Debatendo parcerias de alto impacto, exemplos de iniciativas jurisdicionais zero-desmatamento e de investidores foram levados ao evento. O estabelecimento de prioridades que precisam ser tomadas para permitir que se tome uma ação coletiva visando zero desmatamento também foi um assunto importante. Durante a ocasião, cada apresentação demonstrava que zerar o desmatamento não é uma utopia.

Os membros do GCF, Mato Grosso e Pará, apresentaram suas iniciativas e compromissos mais recentes em planos jurisdicionais de crescimento-verde (green-growth). O Mato Grosso focou na intensificação da produtividade da pecuária e nos aprimoramentos dos sistemas de rastreamento e nutrição. O Comitê do PCI (Produzir, Conservar e Incluir) – do estado do Mato Grosso – apresentou oportunidades público-privadas nas áreas de agricultura familiar e povos indígenas. Essa estratégia ambiciosa tem a intenção de melhorar a cadeia produtiva mato grossense, conciliando produção rural enquanto enfrenta os desafios impostos pelo desmatamento.

O estado do Pará apresentou mecanismos de financiamento público-privados, o Pacto de Zero-Desmatamento de Paragominas, município do estado, e a produção sustentável de cacau, que serviu como exemplo positivo dos setores público e privado realizando parcerias com pequenos produtores. Tudo isso demonstra como é viável superar os obstáculos.

Mecanismos de compensação e pagamentos por serviços ambientais foram destacados ao longo do evento como essenciais para o sucesso de práticas sustentáveis. Essas e outras boas práticas precisam ser amplamente disseminadas e usadas na construção coletiva de um sistema que encare menos barreiras para a produção sustentável.[:en]By Fernanda Barbosa and Felipe Sá
With information from the Tropical Forest Alliance 2020 and Mato Grosso’s Secretariat of the Environment news agency

 

The TFA 2020 Latin America Regional Meeting took place in São Paulo on March 12 and 13. The event aimed at discussing the zero-deforestation agenda concerning commodities production and also sought to catalyze new partnerships and initiatives, gathering major companies, banks, investors, development agencies and governments, such as Colombia, Peru, São Paulo and, GCF members, Mato Grosso and Pará. Participants highlighted that events such as this are important to show that different actors are willing to move forward to zero-deforestation production, emphasizing that both risks and responsibilities are shared.

Debating high impact partnerships, examples were brought from jurisdictional zero-deforestation initiatives and investors. Priorities that must be established in order to enable collective action to achieve zero deforestation was also an important topic. During the occasion, each presentation showcased how zero deforestation is not a utopia.

GCF members Mato Grosso and Pará presented their latest initiatives and commitments to green-growth jurisdictional plans. Mato Grosso focused on livestock production intensification and improvements in traceability and nutrition systems. The PCI (Produce, Preserve and Include, in portuguese) Committee – from Mato Grosso – presented public-private opportunities in the areas of family farming and indigenous peoples. This ambitious strategy enhances Mato Grosso’s production chain, in order to conciliate rural production while tackling deforestation.

The state of Pará presented public-private financial mechanisms, the Zero Deforestation Pact of Paragominas, a municipality in the state, and sustainable cocoa production, which served as a positive example of public and private sectors partnering with small-scale producers. This demonstrated the viability of overcoming obstacles.

Compensation mechanisms and payments for environmental services were highlighted throughout the event as essential for the success of sustainable practices. This and other good practices need to be widely spread and used in the collective construction of a system that faces less barriers for producing sustainably.[:]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *