Campo Sustentável

Sob coordenação da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) do Tocantins, o Idesam agora atua como parceiro do ‘Campo Sustentável’, programa que pretende viabilizar novos modelos produtivos e de uso da terra neste Estado, visando modelos integrados de lavoura-pecuária-floresta como estratégia para reduzir o desmatamento. O desafio do programa é apresentar um modelo produtivo integrado que alie a produção rural sustentável com a conservação de recursos naturais, algo que já começou a ser posto em prática.

O objetivo principal é implementar 50 hectares de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) em duas propriedades rurais previamente selecionadas no Estado. O Campo Sustentável se insere em um contexto mais amplo, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que deve ajudar a efetivar o Programa Jurisdicional de Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD+) no Tocantins.

O Campo Sustentável pretende reduzir o desmatamento em terras privadas no Tocantins, focando no impacto causado pela expansão da produção agrícola e pecuária, que constitui o principal vetor do desmatamento no Estado. A redução do desmatamento é essencial para que o Brasil consiga alcançar suas metas climáticas. Para isso, foi criada uma ‘Teoria da Mudança’ que busca aumentar a produtividade de terras degradadas, reduzindo a pressão sobre remanescentes de vegetação nativa.

Tocantins enfrenta hoje uma baixa produtividade nas suas principais cadeias de valor. Por outro lado, a restauração de pastagens degradadas e a mudança das práticas de manejo da terra podem aumentar a produtividade por hectare dessas propriedades, e com isso, reduzir a pressão por conversão de vegetação nativa em pastagens ou culturas. O Campo Sustentável será uma estratégia complementar às atividades do Programa de REDD+ do Tocantins. O programa, na forma que está desenhado, contribuirá para que o Estado possa escalonar as atividades realizadas, expandindo para outras regiões de seu território.

Além da SEMARH, apoiam o programa o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

 

  • Eixo 1: Assistência técnica continuada voltada à implementação de módulos demonstrativos de integração lavoura-pecuária-floresta, em um total de 50 hectares.
  • Eixo 2: Construção de plataforma de MRV para o programa Campo Sustentável, incluindo monitoramento das propriedades no que se refere à manutenção de vegetação nativa, redução do desmatamento, aumento de produtividade e rastreabilidade da produção (certificado de origem).
  • Eixo 3: Desenvolvimento de Estratégia de Investimento para transição agroecológica e redução do desmatamento no Estado do Tocantins, visando a expansão do Programa Campo Sustentável para outras propriedades no Estado.
  • Eixo 4: Prospecção de novos investimentos: Elaboração de material de comunicação e prospecção de investimentos adicionais para o Estado do Tocantins, voltados à redução do desmatamento através da intensificação da produção pecuária. Neste eixo, estão previstos participação em eventos e fóruns estratégicos, apresentação para investidores nacionais e internacionais e interlocução com empresas do setor, como traders e frigoríficos.

  • Implementação e monitoramento dos modelos demonstrativos
  • Identificação e mapeamento de propriedades rurais que desenvolvem sistemas produtivos sustentáveis para grandes commodities
  • Criação dos certificados estaduais de “atestado de origem” da produção
  • Desenvolvimento de planos de negócio para escalonar os modelos produtivos para outras propriedades do Estado
  • Elaboração dos materiais de comunicação/fundraising do Programa “Campo Sustentável” e para Estratégia de Investimento do Estado

  • Pelo menos 30% de proprietárias mulheres envolvidas na implementação do modelo
  • Triplicar o ganho da produtividade no prazo de 5 anos nas áreas-piloto
  • Zerar o desmatamento ilegal nas propriedades beneficiadas pelo projeto
  • 2 propriedades rurais com sistemas produtivos sustentáveis mapeadas
  • 2 propriedades com atestado de origem/boas práticas produtivas
  • Aumento médio de produtividade nas propriedades do Campo Sustentável em 3 vezes, após 3 anos.
  • Captação de recursos e investimentos adicionais para o Programa “Campo Sustentável”

Uma plataforma dedicada à nuvem será usada para monitorar o programa. Esta plataforma deverá estar apta para acompanhar os avanços dos resultados, calibrar e monitorar possíveis alterações, e assegurar que as atividades aconteçam dentro do prazo esperado e fazer os ajustes necessários para manter o cronograma geral das atividades.

A plataforma deverá também gerar relatórios trimestrais de status do projeto os quais servirão para medir e acompanhar os avanços dos produtos esperados e entregáveis. A Plataforma será acessível e construída em portal web de tal forma que possa ser acompanhada remotamente por qualquer entidade envolvida no projeto.

Trabalhando com recursos limitados, na sua fase piloto, o Campo Sustentável atua em uma área significativa de 50 hectares e com 2 modelos produtivos integrados distintos, que serão monitorados por programa de MRV (Mensuração, Relato e Verificação). Os resultados do programa irão informar Planos de Negócios atrativos para produtores rurais da região e irão embasar o desenvolvimento de uma Estratégia de Investimento para transição agroecológica e redução do desmatamento no Estado, dando segurança aos investidores potenciais.

O programa contará com a parceria de duas instituições, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Ruraltins, órgão governamental do Tocantins responsável pela extensão rural. Estas duas instituições trabalharam em conjunto com a SEMARH na idealização e com amplo suporte técnico ao projeto.

Mapa de Atuação

Nossos parceiros

Embrapa

GCF Task Force

PNUD

Ruraltins

SEMARH (TO)

Deixe um comentário