Idesam incentiva participação comunitária no “Grande Encontro Parintins”

10 de maio de 2011

 

Entre os dias 15 e 16 de abril, o IDESAM (Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas) marcou presença no Grande Encontro em Defesa da Floresta, dos Povos e da Produção Sustentável, realizado em Parintins (AM). O Instituto também apoiou a participação de nove organizações sociais do Estado que, por meio do “Projeto Empoderamento de Organizações Sociais de Base Florestal do Leste do Amazonas”, financiado pela União Europeia, puderam enviar seus representantes ao evento.

 

Na avaliação do secretário-executivo adjunto do IDESAM, Carlos Gabriel Koury, o principal ponto positivo foi permitir às comunidades extrativistas do Amazonas apresentar suas demandas diretamente ao Governo Federal, representado pela Ministra de Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

 

Koury destaca o compromisso assumido pelo Ministério, de abrir o diálogo com as comunidades extrativistas para buscar resolver os impasses que dificultam o manejo comunitário familiar na região. A partir de agora, é necessário que as organizações sociais monitorem e cobrem esse compromisso, para que as reivindicações sejam atendidas e executadas nas comunidades, “algumas políticas públicas são concebidas em Brasília e continuam lá, os comunitários e produtores aqui do Amazonas não sabe como implementá-las ou mesmo nem as conhece”, destacou Koury.

 

Entre as organizações presentes no evento por meio do projeto, estavam: a Associação dos Trabalhadores e Trabalhadoras Artesãos do Rio Arary (Asta) e as comunidades Jesus é a Única Esperança e São José do Carú, de Itacoatiara; a Associação Viva Verde de Mulheres da Amazônia (Avive), de Silves; a Associação Agroextrativista das Comunidades da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã (AACRDSU), de Itapiranga e S. Sebastião do Uatumã; a Associação Agrícola e de Manejadores Florestais do Curuça (AAMFC), a Associação Comunitária Agrícola e de Extração de Produtos da Floresta (Acaf) e os Movimentos das Mulheres Trabalhadoras Ribeirinhas (MMTR), de Boa Vista do Ramos e de Maués.

 

As organizações beneficiadas participaram dos grupos temáticos, onde tiveram a oportunidade de relacionar uma série de providências que eles consideram prioritárias para que o manejo florestal comunitário seja um meio de se desenvolvimento econômico.

 

Entre as propostas, está a criação da Frente Amazônica de Manejo Florestal Comunitário Familiar para discutir o manejo florestal e a conservação da biodiversidade na Amazônia e direcionar demandas aos setores responsáveis. Os extrativistas pedem ainda a simplificação no acesso à documentação para os pequenos produtores, criando um sistema de atendimento ao comunitário que integre vários órgãos.

 

O “Grande Encontro” reuniu mais de 700 pessoas, entre gestores públicos, especialistas e membros de comunidades do interior. O IDESAM foi representado pelo seu secretário executivo adjunto, Carlos Koury, e por Marcus Biazatti, pesquisador do Programa Manejo de Recursos Naturais, e apoiou a relatoria do Grupo Temático “Criação e Implementação de Unidades de Conservação”.

 


Compartilhe esta notícia

Posts relacionados

Deixe um comentário