DOE AGORA

Mercado Livre vai investir mais de R$ 24 milhões na conservação e regeneração de biomas no Brasil

Mercado Livre vai investir mais de R$ 24 milhões na conservação e regeneração de biomas no Brasil

Programa Regenera America recebe segunda rodada de investimentos para impulsionar quatro projetos com foco na Mata Atlântica e Amazônia. Além do Brasil, que já conta com dois projetos em curso desde o ano passado, o programa vai apoiar a restauração de um aqüífero no México. Investimento total do programa chegará a R$ 87 milhões na América Latina.

Por Mercado Livre
Foto: Arquivo Idesam

São Paulo, 07 de junho de 2022 – O Mercado Livre, empresa líder em e-commerce e serviços financeiros da América Latina, anuncia o investimento de mais de R$ 24 milhões no Regenera América. O programa apoia iniciativas de regeneração nos principais biomas da América Latina, região que abriga 40% da biodiversidade do planeta. Neste ano, quatro projetos receberão esse investimento no Brasil, assim como o programa chega ao México, com o apoio a grande um projeto local e investimento similar. Ao todo, serão investidos R$ 87 milhões na região, sendo que R$ 39 milhões já foram aplicados no ano passado. O Regenera América é uma das principais
iniciativas da estratégia ambiental do Mercado Livre, que investe um valor proporcional à sua pegada de carbono em projetos que irão gerar créditos futuros.

Lançado em 2021, o programa adota a conservação e regeneração, implementando iniciativas de impacto positivo e de longo prazo. Além de contribuir para a preservação da biodiversidade, integrando e gerando renda para as comunidades locais, o Regenera América ratifica e estimula os processos locais de restauração e conservação ambiental. Dentre as ações de impacto socioeconômico está o pagamento por serviços ambientais para pequenos agricultores. Além de gerar trabalho e renda para suas famílias, os créditos de carbono emitidos podem ser vendidos e o dinheiro reinvestido em seus empreendimentos, criando assim um ciclo socioeconômico virtuoso.

Além de ampliar o investimento em um dos projetos já incentivados no ano passado, o Regenera América vai iniciar o investimento em três novos projetos. Com isso, além de promover a regeneração da Mata Atlântica, o bioma mais degradado do país, o programa vai financiar um projeto piloto no bioma amazônico, um dos mais importantes e ameaçados do país. “Quando combinada a ações para reduções de emissões efetivas, o que também temos feito, a regeneração é uma das formas mais eficientes de enfrentar as mudanças climáticas. Não apenas porque os ecossistemas são captadores naturais de carbono, mas também porque contribui para a mitigação dos riscos climáticos e para a preservação da biodiversidade na região”, destaca Laura Motta, gerente sênior de Sustentabilidade do Mercado Livre no Brasil.

Iniciado no país, o Regenera America apoiou dois projetos de restauração da Mata Atlântica em 2021. Juntos, os projetos Conservador da Mantiqueira, liderado pela The Nature Conservancy (TNC), e o Corredores de Vida, implementado pelo Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ), irão regenerar mais de 2,9 mil hectares de Mata Atlântica, o equivalente a 7 milhões de árvores que, ao longo de seu crescimento em 25 anos, sequestrarão mais de 700 mil toneladas de carbono.

Cientificamente eficazes no combate às mudanças do clima, a conservação e a regeneração geram créditos de carbono, uma vez que os biomas capturam e armazenam o carbono emitido, fornecendo ainda uma variedade de serviços ecossistêmicos vitais, como ar puro, água limpa, solos saudáveis, alimentos, matérias-primas, dentre outros. Neste ano, o Corredores de Vida receberá um novo aporte que permitirá restaurar 50 hectares a mais do bioma presente no estado de São Paulo, a partir do plantio de mais de 100 mil plantas nativas.

Novos projetos

Além do Corredores de Vida, os outros três projetos no Brasil, que recebem investimentos em 2022, estão situados nos estados da Bahia, Rio de Janeiro e Amazonas. O primeiro deles é chamado de Corredor Pau Brasil, por meio do qual o Regenera America vai restaurar 70 hectares de Mata Atlântica a partir do plantio de árvores nativas do estado baiano. A iniciativa desenvolvida pela ONG Natureza Bela vai ser implementada em parceria com proprietários de terra para regenerar os 20% obrigatórios de áreas de Reserva Legal e Área de Preservação Permanente de suas propriedades. O financiamento para a geração de carbono é um caminho alternativo para que
a restauração realmente aconteça e em um prazo menor.

Além do fortalecimento da biodiversidade e dos processos locais de conservação, o Regenera America vai contribuir com a geração de renda local a partir da criação de um corredor biológico entre dois importantes parques nacionais: o Parque Nacional do Monte Pascoal e o Parque Nacional do Pau Brasil. Ao todo, serão plantadas 116 mil mudas, muitas delas espécies endêmicas e ameaçadas de extinção. Atualmente, a região possui povos indígenas que também poderão ser beneficiados pelo projeto, atuando em uma cooperativa de plantio de mudas parceira da mesma ONG.

Batizado de Águas do Rio, o outro projeto beneficiado pelo Regenera América está localizado no estado do Rio de Janeiro, onde o programa vai atuar em parceria com o Instituto Terra de Preservação Ambiental (ITPA) para restaurar 70 hectares de Mata Atlântica. A partir do plantio de 116 mil mudas de árvores nativas, o objetivo é criar um corredor ecológico entre a Reserva Biológica do Tinguá e o Parque Nacional da Serra da Bocaina, distantes cerca de 100 km um do outro. Além de fortalecer a biodiversidade e os processos locais de conservação, gerando renda, o projeto vai proteger as bacias hidrográficas da região.

Situado no Amazonas, o Café Apuí prevê a criação de projetos florestais na Amazônia a partir do fomento de sistemas de produção agroflorestais. Realizado em parceria com o Idesam, o projeto vai contribuir ainda com o desenvolvimento da agricultura responsável e geração de renda para cerca de 30 produtores familiares locais. Atualmente, o plantio de café em agrofloresta em Apuí, região sul do estado, culminou com a comercialização de duas marcas de alta qualidade em cafezais antes abandonados pela baixa produtividade. Os grãos crescem à sombra da floresta que abraça o cafezal.

“Nosso crescimento acelerado na região aumenta a responsabilidade e os desafios quanto ao impacto das nossas operações. Conscientes disso, estamos adotando medidas para reforçar o nosso impacto socioambiental positivo”, pontua André Chaves, vice-presidente sênior de Estratégia, Desenvolvimento Corporativo e Relações com Investidores do Mercado Livre. “Medimos e reportamos nossa pegada de carbono, assim como acreditamos que os esforços de redução combinados com a regeneração geram uma contribuição efetiva”, completa.

Para acelerar sua estratégia, o Mercado Livre emitiu em 2021 um título verde de US$ 400 milhões, que será utilizado em cinco anos para impulsionar projetos de triplo impacto: redução da pegada ambiental, inclusão financeira e desenvolvimento e empoderamento social. Ao final de 2021, US$ 62 milhões (15,5%) já haviam sido investidos nessas frentes. “A cada ano, vamos investir quantidade proporcional da nossa pegada em iniciativas de regeneração e conservação, que contribuem para o enfrentamento das mudanças climáticas e para a preservação da biodiversidade”, conclui André.

Gestão da carteira de crédito de carbono
O Mercado Livre conta atualmente com a parceria da Pachama, startup que utiliza dados de satélite e inteligência artificial na proteção e gestão de ecossistemas, apoiando a companhia na gestão da sua carteira de crédito de carbono na América Latina. Parte do programa Regenera América, a Pachama é responsável pelo mapeamento, gestão e monitoramento dos projetos desde o seu início em 2021. “Neste ano, vamos trabalhar juntos com o Mercado Livre para proteger e restaurar mais de 3,3 mil hectares de terra e mais de 3 milhões de árvores no Brasil e México. Esses cinco projetos terão impacto significativo nas comunidades locais, na vida silvestre e no
clima, sendo que seus impactos serão medidos constantemente ao longo dos anos. Estamos animados e honrados em estar ao lado de empresas líderes para restaurar a natureza, utilizando a tecnologia em cada passo desse caminho”, Rodrigo Wanderley, gestor de projetos na Pachama.

O Regenera América financia projetos que têm impacto combinado entre a proteção da biodiversidade e outros serviços ecossistêmicos, o sequestro de carbono da atmosfera e um claro impacto social local. Sua atuação se concentra nos biomas, devido ao seu papel fundamental no bem-estar das pessoas e do planeta, ajudando a mitigar o avanço das mudanças climáticas. “Estamos atuando em parceria com organizações ambientais, produtores e comunidades locais para oferecer soluções concretas para a agenda climática. Optamos por trabalhar com as comunidades locais para que elas também se beneficiem desse processo e se capacitem para serem remuneradas pelo serviço ambiental que prestam, fomentando a criação de novas cadeias produtivas e de restauração florestal que serão cada vez mais essenciais neste século”, conclui Laura Motta.

Regenera América no México
Nesta nova rodada de investimentos, o programa chega ao México, onde irá apoiar a restauração de 3,1 mil hectares do Aquífero Apan, localizado no estado de Hidalgo. O plantio de 120 mil plantas nativas e atividades de recuperação do solo vão ajudar ainda a prevenir a escalada da erosão, garantindo a saúde do aquífero. Ao longo dos últimos anos, a erosão no local contribuiu para a perda de solo, dificultando o crescimento das plantas devido à ausência de elementos para reter e infiltrar a água das chuvas, que não alimentam o aquífero e inundam as aldeias. Além de educação ambiental, o projeto vai criar fontes sustentáveis de renda para as comunidades locais por meio de treinamento gratuito na produção de mel, agave e pastagem regenerativa.

WordPress Lightbox Plugin