Carbono Neutro é cadastrado no Banco de Tecnologias Sociais da FBB

img-carbononeutro-bts

Comunicação Idesam

 

A partir de setembro de 2017, o Carbono Neutro (PCN) Idesam é uma das iniciativas que compõem o Banco de Tecnologias Sociais (BTS) da Fundação Banco do Brasil.

O BTS é uma base de dados com informações sobre as tecnologias certificadas pelo Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, realizado a cada dois anos desde 2001. O objetivo é conectar as organizações, empresas e pessoas que buscam replicar iniciativas com comprovado impacto social.

>> Acesse a página do Carbono Neutro no BTS

Para Ramom Morato, coordenador de Agroecologia do Idesam, esse reconhecimento celebra que o Carbono Neutro, muito além de um programa ambiental, promove também benefícios sociais para os comunitários participantes. “Sempre foi um dos valores do Carbono Neutro: trabalhar com a valorização das pessoas”, explica.

Isso se deve a um dos principais diferenciais do programa: as mudas são plantadas através de um sistema agroflorestal, que ajudar a gerar alternativas de renda, segurança alimentar e qualidade de vida aos moradores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã. As áreas degradadas e improdutivas da reserva são transformadas em ‘florestas produtivas’, que sequestram o CO2 da atmosfera ao mesmo tempo em que fornecem matéria-prima para os moradores.

Segundo Ramon, o BTS é um local de interação e aprendizado: “O Banco de Tecnologias Sociais é um lugar onde as pessoas sabem que encontrarão projetos de impacto social e ambiental realmente eficientes. É onde as tecnologias podem procurar por outras tecnologias, dialogar entre si, conhecer iniciativas que estão dando certo e replicar exemplos positivos, além de aprender novos caminhos que levam à sustentabilidade”.

 

Critérios de avaliação

Todo o processo é realizado por uma comissão técnica da Fundação Banco do Brasil. Dentre os critérios de avaliação estão: estar em atividade há pelo menos dois anos, possuir evidências de transformação social, estar sistematizada a ponto de tornar possível sua reaplicação em outras comunidades, interação da comunidade e respeitar os princípios e valores de protagonismo social, cuidado ambiental, respeito cultural e solidariedade econômica.

Com a certificação, as tecnologias passam a fazer parte do Banco de Tecnologias Sociais e podem utilizar o Selo de Certificação de Tecnologia Social pela Fundação Banco do Brasil nos materiais de divulgação e comunicação referentes à iniciativa certificada.

 

Posts relacionados

Deixe um comentário